ALE cobra David sobre contas do período em que foi governador

Prefeito é notificado para que apresente defesa em processo de prestação de contas sobre gastos de R$ 6,4 bilhões quando foi governador interino no ano de 2017, em mandato de apenas 6 meses

Manaus- Tal como num filme de terror adolescente, o passado ainda incomoda a vida política do prefeito de Manaus David Almeida (Avante). Nesta quinta-feira, a Assembleia Legislativa do Estado (ALE), notificou o chefe do Executivo municipal para que apresente defesa em processo de prestação de contas referente ao período em que foi governador do Estado no ano de 2017, em mandato interino, que teve voto pela desaprovação emitida pelo então relator, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Júlio Pinheiro.

(Foto: Divulgação/ Secom)

Ofício emitido nesta quinta-feira, (22), pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da Assembleia cobra apresentação de defesa em processo que trata de suas contas naquele ano em que David ocupou o governo do Estado entre maio e outubro de 2017. Naquele exercício, o Executivo Estadual dispunha de R$ 14,6 bilhões previstos para gastar durante todo o ano, sendo que entre maio e outubro foram gastos R$ 6,4 bilhões.

Procurado pela reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), o relator das contas na ALE, deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania) informou que aguarda manifestação de David Almeida para emitir seu relatório sobre o assunto, que depois será apreciado pelo plenário da Assembleia.

“Em setembro fui destinado a relator das contas do período tampão do David, e aí eu pedi do presidente da comissão um pouco de tempo para analisar, por isso o prefeito tem 15 dias para apresentar contrarrazões. Se tem algo novo a acrescentar, daí ao final dos 15 dias eu fecho o relatório. A conta foi aprovada pelo TCE, mas é importante deixar bem claro que o relator das contas do então governador interino votou pela desaprovação. Estou me debruçando sobre o mérito e espero contrarrazões por parte do David para me fechar no relatório final”, destacou Wilker Barreto.

De acordo o com documento expedido pelo relator do processo na CAE, Wilker Barreto, a não apresentação de defesa nesta segunda fase do processo de julgamento das contas do chefe do Poder Executivo estadual pelo Poder Legislativo não prejudica as defesas já apresentadas na primeira fase do processo.

Anúncio