ALE irá apreciar, nesta quarta, convocação ex da SPF

Pedido de convocação de Keit Maciel da Gama será discutida, nesta quarta-feira (11), no parlamento estadual. A líder do governo na Assembleia afirmou não se opor à convocação

Manaus – A Assembleia Legislativa do Estado (ALE) deve apreciar, nesta quarta-feira (11), um requerimento dos deputados estaduais Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (Progressista) em que pedem a convocação da ex-secretária de Estado de Política Fundiária (SPF), Keit Maciel da Gama, para que ela explique investigação em curso na Polícia Federal (PF) por suspeita de grilagem de terras.

A denúncia veio à tona após os funcionários do Estado e representantes de organizações sociais relatarem o caso à PF e ao Ministério Público Federal (MPF), neste ano. A ex-secretária da SPF e atual servidora da pasta foi indicada pelo vice-governador Carlos Almeida (PRTB) ao cargo.

Para Wilker Barreto, a convocação é uma oportunidade para o governo do Estado provar que tem interesse em esclarecer os fatos. “Se a base (do governo na Assembleia Legislativa do Estado) quer resguardar o vice-governador, então, que aprove a nossa convocação”, disse.

Barreto relatou que a líder do governo da ALE, deputada estadual Joana Darc (PL), afirmou não ver problema em convocar a investigada pelo MPF, Keit Maciel. “Fiquei muito feliz que a líder do governo disse não ver problema em ouvir a ex-secretária. Vou pegá-la na palavra”, disse.

Por meio de sua assessoria, a líder do governo confirmou que “não iria se opor a nenhum requerimento, caso fosse feito, afim de apurar a verdade”.

Wilker Barreto falou, ainda, sobre decisão judicial que determinou a retirada da internet de reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), por meio do PORTAL D24AM, além da retirada dos portais de notícias do ‘Portal Amazonas 1’ e ‘Portal do Holanda’ sobre a investigação envolvendo a ex-secretária, o parlamentar defendeu que a medida deve ser questionada.

“Eu tenho uma lógica: decisão judicial se cumpre e, ao mesmo tempo, se questiona. Tem os recursos e ainda as instâncias superiores. Eu não sei quais foram os elementos que levaram o juiz a dar a liminar, mas, estamos falando de algo que tem uma investigação em andamento e a ALE irá apreciar este requerimento de convocação”, frisou.

Para ser aprovado, o requerimento precisa ser aprovado por maioria simples dos deputado estaduais (Foto: Hudson Fonseca/ALE)

O deputado estadual Dermilson Chagas (Progressista) afirmou que o vice-governador tem envolvimento com a questão fundiária, desde que era defensor público. “Há uma relação muito profunda e cheia de nuances. É muito nebulosa esta relação, então, nada mais justo que a Assembleia (Legislativa do Estado) – um órgão fiscalizador – tomar as providências”, afirmou.

Sobre decisão de retirar matérias de portais de notícias, Dermilson afirmou que a decisão foi uma agressão.
“Achei uma violação ao direito de imprensa uma violação constitucional. Eu não quero acreditar que o Poder Judiciário é a favor desta linguagem do mudo, do surdo e do cego. Vivemos em um País democrático em que a imprensa é um dos alicerces da nossa sociedade”, disse.

Nesta terça-feira (10), o Sindicato das Empresas Jornalísticas do Estado do Amazonas (Sineja) emitiu nota afirmando que a entidade tem se mantido firme na trincheira da defesa da livre manifestação do pensamento e, mais do que isso, da absoluta liberdade de imprensa.

“Por isso, no momento em que um de seus integrantes, o jornal DIÁRIO DO AMAZONAS, é alvo de uma ação judicial que tem por fulcro assegurar um direito de resposta que o veículo jamais se negou a oferecer, entendemos ser necessário firmar posição contra toda e qualquer forma de censura, aí compreendidas decisões cujo objetivo é tão somente constranger a empresa jornalística”.

Na noite e segunda-feira (9), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amazonas (SJP/AM) também emitiu uma nota para repudiar “medida judicial que determina que o GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), ‘Portal do Holanda’ e ‘Portal Amazonas 1’ excluam matéria sobre grilagem de terras, envolvendo a ex-secretária de Política Fundiária, senhora Keit Maciel a Gama”.

Empresário que revelou esquema de propinas será ouvido, nesta quarta

Está prevista para ocorrer nesta quarta, a reunião para ouvir o empresário Francisco Dantas, dono da empresa Dantas Transportes, no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) e não com a porta fechada como foi proposto pela presidente da Comissão de Educação na ALE, Therezinha Ruiz (PSDB). O pedido de fazer a reunião à porta aberta foi feito, nesta terça, pelo deputado Dermilson Chagas (PP).

A reunião está prevista para acontecer ás 16h, na Comissão de Educação. Lá os 24 deputados ouvirão e questionarão o empresário Dantas que duas semanas atrás denunciou para o Procurador do Ministério Publico de Contas (MPC) do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Carlos Alberto, o pagamento de ‘mensalinho’ no valor de R$ 20 mil para agentes políticos e deputados estaduais, com o objetivo de manter o contrato com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), para o transporte escolar.

Diante do fato, que sugere corrupção com o dinheiro público, Dermilson afirma que os deputados devem esclarecimentos para população. “Estamos falando de dinheiro público, da demissão de um secretário, de mais de 2 mil pessoas que estão nesse contrato. Então, é mais do que justo abrirmos as portas para que a sociedade saiba do que foi ouvido e discutido. Precisamos saber quem está por trás do senhor Dantas. Quem o manipula? Quem foi beneficiado com esse ‘mensalinho’? A população precisa saber quem é quem para que separe o joio do trigo”, afirmou.

Anúncio