ALE volta a questionar presença de O. S. na administração do hospital Francisca Mendes

“Isso é preocupante porque O.S. e corrupção, infelizmente hoje, estão lado a lado. É muito arriscado”, pontuou Wilker Barreto

Manaus – Na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), transmitida na manhã desta terça-feira (2), mais uma vez entrou em pauta se uma Organização Social (O. S.) deve assumir a administração do Hospital Universitário Francisca Mendes, referência em cirurgias cardiovasculares.

(Foto: Divulgação)

O tema foi mencionado durante o pequeno expediente, quando o deputado Serafim Corrêa (PSB) disse que o governo não pode “ser criança e continuar nos mesmos erros”. O parlamentar disse ainda que basta o governador Wilson Lima, pesquisar históricos de O. S.’s nos estados brasileiros que resultará em operações da Polícia Federal.

“Essas entidades têm interesse no lucro. Pode pegar qualquer estado onde tem O. S., inclusive aqui no Amazonas, onde tivemos a operação Maus Caminhos, que revelou isso. Eu espero que o governador tenha sensibilidade e sensatez e não vá atrás da conversa da secretária da Susam (Simone Papaiz), que quando tudo isso passar, ela volta para a cidade dela e o governador Wilson vai ter que ficar aqui e responder para o MPF, TCE, ou seja, a vida dele vai virar um inferno”, disse Serafim.

Já o parlamentar de situação Dr. Gomes (PSC) aproveitou a sua fala, sem entrar em detalhes, para dizer que por mais dez anos, a O.S. Unisol (Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões) esteve à frente da unidade hospitalar e por problemas administrativos, o governo não quis renovar o contrato e por isso assumiu a administração.

“Tivemos problemas administrativos que é melhor não entrarmos em detalhes, mas como todo casamento tem um fim, parceria com a Unisol terminou. O governo tomou as rédeas para si. Era um desejo da sociedade que o hospital tivesse um momento de administração do Governo e isto já está tudo preparado”, disse Dr. Gomes.

Entretanto, a informação divulgada pelo próprio Governo do Amazonas, através da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) no último sábado (30), deixou claro que ‘as rédeas’ só serão por no máximo 90 dias, a partir da próxima quinta-feira (4), onde neste período a Susam fará um edital para contratação de uma nova O.S. Informação que foi relembrada pelo deputado de oposição Wilker Barreto (Podemos).

“Eu acho que o deputado Dr. Gomes não entendeu, é que a própria secretário falou que vai colocar uma O.S. Nossos deputados de base dizem que não está fechado o acordo, que por sinal quero acreditar nisso, mas a secretária de saúde fala outra coisa. Isso é preocupante porque O.S. e corrupção, infelizmente hoje, estão lado a lado. É muito arriscado”, completou Wilker.

Anúncio