Amazonino Mendes faz reunião a portas fechadas com prefeitos

Durante as duas horas da reunião, a porta só foi aberta poucos minutos para imagens. Governador disse que ‘nenhum prefeito vai ficar sem dinheiro’

Manaus – O governador Amazonino Mendes (PDT) fez uma reunião a portas fechadas com prefeitos de municípios do interior do Estado, nesta sexta-feira (9), no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Durante as duas horas da reunião, a porta só foi aberta poucos minutos para que fossem feitas imagens do evento, quando os jornalistas puderam ouvir Amazonino dizendo que “nenhum prefeito vai ficar sem dinheiro”.

Imprensa só pode entrar na reunião de Amazonino com os prefeitos para fazer imagens (Foto: Reprodução)

Ao ser questionado sobre o motivo de a reunião ter sido a portas fechadas, o governador se irritou e disse que a pergunta “não tinha sentido”. “Não foi a portas fechadas. Quem disse isso? Não tem nada. Como tem segredo para 200 pessoas? A tua pergunta não tem sentido. Caboclo, você pode guardar segredo para 200 pessoas?”, gritou o governador para a reportagem. De acordo com os assessores do governador, havia 57 prefeitos presentes.

Na entrevista coletiva, o governador negou que a reunião teve apelo político eleitoral. “Eu fiz questão de dizer pra eles (prefeitos) que isso não tem caráter político, é algo institucional. Vamos ajudar os municípios que estão em situação, há muito tempo, ruim, vamos prestar socorro sobre todos os sentidos. Vamos investir onde há maior angústia administrativa. Segurança, saúde, educação e infraestrutura’, disse.

Amazonino sustentou o discurso de que pegou o “Estado quebrado”, mas que já estaria se recuperando, em quatro meses do governo dele. O governador disse, ainda, que vai analisar quanto tem de recurso para “socorrer” as prefeituras, mas o valor, segundo ele, deve ser cerca de R$ 400 millhões. Amazonino foi questionado sobre a questão de condutas vedadas em ano eleitoral. Ele afirmou que está tranquilo e que o dinheiro será repassado até o dia 7 de julho. “Vamos fazer logo, mas será parcelado”, disse.

Na reunião estavam presentes também os deputados estaduais da base governista Dermilson Chagas (PEN), Dr. Gomes (PSD), Wanderley Dallas (PMDB), Vicente Lopes (PMDB), Sidney Leite (PMDB) e Adjuto Afonso (PDT). Além dos deputados federais Hissa Abrahão (PDT) e Silas Câmara (PRB). A Secretaria de Comunicação do Estado informou que a reunião se tratava do “lançamento do Fórum Fundiário do Estado do Amazonas”.

De acordo com a Legislação Eleitoral, estão entre as condutas verdadas em ano eleitoral: distribuição de bens, valores ou benefícios pela Administração (permitido apenas em emergências, calamidades ou programas sociais em andamento) e distribuir bens ou serviços sociais pagos pelo Poder Público em benefício de um candidato.

Nos três meses anteriores à eleição é proibido, entre outras coisas: transferência de recursos da União para os Estados e municípios ou dos Estados para os municípios (apenas permitido em situações de emergência, calamidade ou para obras já iniciadas); fazer publicidade institucional de programas, obras, serviços ou veicular campanhas dos órgãos públicos (permitida apenas por necessidade pública) e pronunciamentos transmitidos em rádio ou na televisão fora do horário eleitoral (exceto em situações urgentes). O agente que descumprir a lei terá a conduta suspensa em caráter imediato e estará sujeito ao pagamento de multa.

Anúncio