Amom debate futuro da democracia com Arthur Neto

Debate ‘Democracia em Crise no Brasil’ foi promovido pelo Centro Preparatório Jurídico (CPJur)

Manaus – O vereador de Manaus, Amom Mendel (Podemos), participou, nesta quinta-feira (15), do debate ‘Democracia em Crise no Brasil’ promovido, pelo Centro Preparatório Jurídico (CPJur) que contou também com a participação do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto.

A discussão foi mediada por Welington Júnior (Foto: Reprodução / Facebook)

Educação, polarização política e riscos à democracia foram alguns dos temas abordados no debate transmitido pela YouTube com direito a perguntas de quem acompanhava pela rede social.

No primeiro momento da discussão foi avaliado o conceito de democracia em nossos dias. Para o encontro, a discussão foi mediada por Welligton Junior, para o vereador Amom uma democracia forte é uma sistema com efetiva participação da população.

“O que vivemos aqui não é uma democracia. Não porque não tenhamos, mas porque a democracia é um regime utópico, é um ideal inalcançável. Vivemos em um Estado que procura viver o ideal democrático. É justamente esta distância entre os valores democráticos, e a população e governos que causa as chamadas crises do sistema democrático”, analisou.

O ex-prefeito Arthur Neto concordou como vereador sobre a democracia ser uma utopia, mas considerou as ‘utopias realizáveis’.

“Eu considero como realizável a democracia avançar, melhorar seu padrão, melhorar sua qualidade”, frisou.

Quando foi discutido o tema ‘Educação’, Amom afirmou que a educação tem papel primordial para reforçar a democracia.

“O estado democrático de direito é uma forma de governo em que o arcabouço jurídico respeita a participação da população e isto ocorre quando a população tem consciência total de seus direitos e deveres. Para mudar o Estado e a política, é preciso, essencialmente, mudar a cultura. E só tem como fazer isto por meio da educação, da educação política, educação cientifica, educação moral e educação ética. É por isto que eu tenho uma plataforma de educação política totalmente online”, disse.

Arthur Neto citou que, quando houve impeachments recente de dois presidentes teve povo na ruas,o que demostra que a população não á passiva do processo político.

“Eu não sou uma pessoa que curte impeachment,eu prefiro a estabilidade plena, e o País marchando tranquilamente. E o governante que não agrada seja procuro por outro que possa agradar. A democracia tem o valor de poder corrigir os erros que o próprio povo comete”, argumentou.

Quando o assunto foi a participação política durante os processos de impeachment, Amom avaliou que a participação política da população ainda é baixa.

“Onde estava a população antes daquelas manifestações, quando a Dilma cometeu as pedaladas fiscais? Onde estava a população quando (oex-presidente) Lula cometeu diversos irregularidades? Eu acho que há, sim, uma participação da sociedade, mas, esta participação, ainda é baixa. (…) O Brasil, embora seja miscigenado, é pouco miscigenado em opiniões. O Brasil vive, atualmente, uma bipolaridade, uma coisa de nós contra eles,esquerda contra direita. Uma democracia saudável tem oportunidade de fala para diferentes opiniões”, disse o parlamentar.

Anúncio