Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro vão às ruas de Manaus contra o STF

Os manifestantes passaram por várias ruas da capital pedindo que seja respeitado o direito à liberdade de expressão

Manaus – Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fizeram uma manifestação pelas ruas de Manaus na tarde deste domingo (31). Com o lema ‘Lute pela sua liberdade, antes que tirem ela de você’, os manifestantes pediam a investigação sobre uma possível corrupção dos governantes durante a pandemia do novo coronavírus e também contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que, segundo eles, está contra o direito de liberdade de expressão da população.

A carreta começou por volta das 15h, na Avenida das Torres, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus, e teve apoio da Polícia Militar do Estado, que fez a escolta dos manifestantes. Eles percorreram a Avenida Ephigênio Sales, chegaram até a Avenida Djalma Batista, depois seguiram pela Constantino Nery até chegar à Avenida São Jorge.

Ao passar em frente ao 1º Bis, no São Jorge, os manifestantes pararam para homenagear as Forças Armadas (Foto: Yago Frota/GDC)

Em frente ao 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º Bis), houve uma parada estratégica para homenagear as Forças Armadas. Os manifestantes então seguiram pela Avenida Coronel Teixeira até chegarem ao anfiteatro da praia da Ponta Negra, na zona oeste. No ponto de chegada, algumas pessoas discursaram em frente a um carro de som e o restante dos veículos deixaram a orla da praia. O manifesto foi encerrado por volta das 18h.

Um dos pedidos dos manifestantes era permitir a liberdade de expressão que, segundo eles, não está sendo respeitada pelos ministros do STF. “É uma carreta de apoio ao conservadorismo. Chegamos a um ponto onde nós não aguentamos mais as ameaças contra a nossa liberdade. As ameaças que fazem com que aqueles políticos tradicionais permaneçam no poder”, disse o autônomo Wellington Vital.

blank

(Foto: Yago Frota/GDC)

O corretor de imóveis Renner Rodrigues também reforçou o pedido dos manifestantes. “Nós temos o direito de criticar, emitir opinião sobre o ministro do STF, sobre um político, seja ele qual for. Ninguém pode invadir a casa de uma pessoa só porque ela está emitindo sua opinião, dizendo o que pensa”.

Renner contou que mais de 3 mil pessoas participaram da manifestação e que outro ponto abordado pelos manifestantes era o combate a corrupção. “Nós defendemos que a Polícia Federal investigue todos que desviaram dinheiro da saúde, que estão aproveitando o momento da pandemia para pegar um dinheiro que era pra ser aplicado na saúde. A população não pode ser mais prejudicada. Estamos combatendo o vírus chinês e também o vírus da corrupção”, respondeu Renner.

Outro grupo que participava da manifestação pedia a saída do governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima. Eles distribuíram adesivos e máscaras que pediam a saída do governador.

“Nós somos solidários ao movimento contra o STF, mas o nosso maior movimento é que nos leva a estar aqui, é o movimento ‘Fora Wilson’. O que estamos vendo no Brasil inteiro não é nem a metade dos problemas que acontecem no Amazonas. Esse movimento pró-Bolsonaro acaba tirando as pessoas do objetivo de tirar o governador. Por mais que o governo do Amazonas patrocine esses movimentos pró-Bolsonaro e coloque a Polícia Militar para escoltar a manifestação, o comboio, o nosso movimento é pra tirar esse governo do mal, esse governo criminoso que aí está. Se Deus quiser, esse governador, daqui a um tempo, vai estar preso”, disse o coronel da reserva da Polícia Militar Ubirajara Rosses.