Após caso Ana Hickmann, senadores querem criar CPI para combate à violência doméstica

Comissão Parlamentar de Inquérito deve investigar falhas na rede de proteção da mulher

Brasília- A senadora Damares Alves (Republicanos-DF) afirmou nesta terça-feira (5) que articula a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre violência doméstica, com o objetivo de revelar a falha na rede de proteção da mulher no país. O movimento ganhou força após a repercussão do caso da apresentadora Ana Hickmann, que denunciou seu então marido, Alexandre Correa, por agressão física, em 11 de novembro.

blank

(Foto: Reprodução/ Record TV)

“Eu acho que essa CPI vai descortinar muita coisa, inclusive, encontrarmos onde está a falha na rede de proteção da mulher no país. Vai ser um avanço”, afirmou a senadora. A articulação para a criação da CPI é feita com os senadores Jorge Kajuru (PSB-GO) e Leila Barros (PDT-DF).

As equipes dos parlamentares trabalham no texto do requerimento e ainda não começaram a recolher as assinaturas necessárias para a criação do colegiado. Para ser criada, a CPI precisa do aval de, no mínimo, 27 senadores.

”A entrevista dela [Ana Hickmann, ao Domingo Espetacular] mostrou ao Brasil que violência contra a mulher, como disse a senadora Damares, não tem religião, não tem cor e também agora não tem essa de que só mulher pobre é agredida”, disse o senador Jorge Kajuru. Segundo ele, a apresentadora demonstrou interesse em contribuir com a CPI.

As Comissões Parlamentares de Inquérito têm poderes de investigação semelhantes aos de autoridades judiciais. Isso significa que elas podem convocar autoridades, requisitar documentos e quebrar sigilos, caso os pedidos tenham o aval da maioria de seus integrantes.

Em entrevista exclusiva ao Domingo Espetacular, da Record, em 26 de novembro (veja no vídeo acima), a apresentadora quebrou o silêncio e falou com detalhes sobre a violência que sofreu na mansão do casal, em Itu (SP). Ela disse que estava tendo uma conversa com o filho sobre mudanças na gestão financeira da família e que Alexandre não teria gostado do assunto, e eles iniciaram uma discussão.

Segundo Ana, Alexandre tentou dar uma cabeçada nela durante a confusão, mas ela conseguiu se desvencilhar do marido, pegou o celular e ficou na cozinha.

Segundo a apresentadora, Alexandre sempre teve um temperamento “difícil”, “explosivo” e “agressivo”. Além das agressões, ela escutava diversos comentários negativos em relação a sua aparência.

No entanto, as constantes brigas entre o casal aumentaram devido a dívidas acumuladas pelo marido, as quais ela desconhecia, por não se envolver com a questão administrativa da empresa da qual eles são sócios.

Anúncio