Arthur critica direção do PSDB por conchavo na troca da presidência

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, prefeito de Manaus Arthur Neto
disse ser “violentado por manobras” como o acordo que deve levar o paulista a presidir o partido

Manaus – Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o prefeito de Manaus afirmou que não abrirá mão de disputar prévias com o governador Geraldo Alckmin para ser o candidato do PSDB à Presidência. Ele disse ser  “violentado por manobras” como o acordo que deve levar o paulista a presidir o partido.

 Arthur disse que o PSDB está acostumado a perder as eleições e é hora de mudar de rumo (Foto:Divulgação/Semcom/Alex Pazuello)

Ontem, o PDB do Amazonas adiou ato marcado para este sábado,  em  uma casa de eventos na zona oeste de Manaus. Em nota, o partido afirmou que “por motivos relevantes o encontro do PSDB que seria realizado no Dulcila’s Festas (Ponta Negra) foi transferido para uma outra data a ser divulgada”.

Ao jornal paulista, Arthur Neto disse estar contente porque o governador de São Paulo está acatando bandeiras que o prefeito de Manaus defende. “Fico feliz que ele já esteja assimilando coisas que eu digo, que não dá para votar a reforma da Previdência pela metade. Esse é o papel do PSDB, nada de flacidamente abrir questão”, disse Arthur Neto.

O prefeito evitou  avaliar a gestão de Alckmin no governo paulista. “Não moro em São Paulo, mas ouço falar que é uma pessoa equilibrada, não é irresponsável fiscalmente. Mas sinto que ele não é bastante para vencer em função do discurso tímido, em função do hábito de não ir ao povo”, disse.

Quanto à privatização, bandeira defendida como prioritária pelo novo programa do PSDB, o prefeito de Manaus disse que “Banco do Brasil e Caixa não vejo necessidade. Petrobras, com certeza. Temos 150 estatais, 85 delas podem ser liminarmente privatizadas”, defendeu.

Em um trecho da entrevista, Arthur Neto disse que o PSDB está especializado em perder. “Meu problema é que as pessoas têm dificuldade de entender um pouco isso. O PSDB está especializado em perder por causa de acordos de cúpula. É tetravice-campeão em eleições, perdendo no segundo turno, e com certeza perde mais uma se não mudar seus rumos. Não peço apoio, peço que me deixem falar. Peço ao partido a lista de 1,2 milhão de militantes”.

Quanto ao pedido da lista de filiados, Arthur Neto disse que o PSBD não forneceu a relação de militantes. “Não dizem não, mas não me deram. Estou com muita esperança de que isso melhore, porque, com Geraldo Alckmin presidente do partido, uma figura isenta. Vou dizer: Geraldo, me passe a lista. Você pode ficar com todo presidente de diretório, secretário-geral, a turma todinha do ar-condicionado. Agora, me deixe chegar ao povo”, afirmou.

Arthur ainda falou sobre as denúncias envolvendo o senador Aécio Neves. “O senador Aécio Neves está começando a ficar impertinente com essa tentativa insistente de protagonizar a cena no partido, ele que não tem a fazer mais do que mergulhar e apresentar sua defesa e, se Deus quiser, mostrar razões que o absolvam”, disse.

Anúncio