Arthur provoca Alckmin a participar de debate no estúdio da revista Veja

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, foi entrevistado pelo colunista da Veja, Augusto Nunes, em transmissão ao vivo do estúdio da revista, na capital paulista

Manaus – O prefeito de Manaus, Arthur Virgilio Neto, provocou, nesta sexta-feira (19), o presidente do PSDB e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a participar de um debate pela candidatura à presidência do Brasil nos estúdios da revista Veja, em São Paulo. Arthur foi entrevistado pelo colunista da Veja, Augusto Nunes, em transmissão ao vivo do estúdio da revista, na capital paulista.

Arthur Virgílio disse, na entrevista, que ‘Alckmin é um coronel do Sudeste’ (Foto: Reprodução/Veja)

O prefeito de Manaus disse que Alckmin se comporta como um coronel do Sudeste que detesta competição e opinião divergente, apesar do aspecto de equilibrado. “Ele não quer (as prévias). Não quer divergências e eu tenho a impressão que o meu entusiasmo é correspondido pela falta de entusiasmo dele”, criticou.

Para Arthur, o adversário conta com o apoio de peças importantes do partido e não deveria ser o presidente do PSDB. “As regras são feitas por pessoas muito próximas dele, que além de governador de São Paulo é o pré-candidato a Presidente da República, então o meu adversário é presidente do meu partido e é ele quem eu tenho que enfrentar nessas eleições. Mas, dessa forma, eu considero que ele lidera peças e eu lidero os trezentos de Esparta”, destacou Arthur.

Em seguida, o prefeito de Manaus sugeriu que a revista convidasse os dois pré-candidatos para um debate no estúdio da revista. “Recusar um convite meu, ele pode, mas da Veja ele não recusa”, provocou Arthur. Nesse momento, o colunista da Veja, Augusto Nunes, fez o convite a Geraldo Alckmin e reiterou depois. “Nós vamos formalizar o convite e vamos fazer o debate aqui”, disse.

Arthur também negou que pretenda disputar uma vaga no Senado caso perca a disputa pela candidatura à presidência. “Se essa coisa da presidência não funcionar eu vou completar uma obra muito consistente na prefeitura (de Manaus). Eu não pretendo nada, vezes nada”, disse.

“Ele não quer (as prévias). Não quer divergências e eu tenho a impressão que o meu entusiasmo é correspondido pela falta de entusiasmo dele”, disse Arthur Neto, Prefeito de Manaus.

Para o prefeito de Manaus, enquanto Alckmin representa o coronel do Sudeste, ele re presenta a renovação do País. “Eu me sinto até muito martirizado, por até hoje, com a idade que eu tenho, aos 72 anos, continuar sendo renovação nesse País”, disse. “Eu me sinto o novo porque consigo manter minha capacidade de indignação, de propor, de estudar, ler e procurar dar rumo ao partido”, destacou.

Mesmo com a hostilidade do governador de São Paulo, Arthur disse que consegue apoio suficiente na capital financeira do País. “O PSDB não está melhor que ninguém. Estamos todos muito mal. A verdade vem da vida interna de um partido, de um debate nas prévias, da não mistificação dessas prévias”, disse. “Se eu passar por esse gargalo pantanoso tenho certeza que sou mais competitivo que ele”, afirmou Virgílio.

Anúncio