Associação denuncia governo do AM por ficar com R$ 4,5 bi dos municípios

Governo Wilson Lima se apropriou indevidamente de recursos dos fundos estaduais, cifra que chega a cerca de R$ 4,5 bilhões, denunciou o presidente da Associação dos Municípios, e prefeito de Manaquiri Jair Souto

Manaus – O presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM) e prefeito do município de Manaquiri, Jair Souto (MDB) denunciou, nesta quinta-feira (12) na Assembleia Legislativa do Estado (ALE) que o governo do Amazonas se apropriou indevidamente de recursos dos fundos estaduais, cifra que chega a cerca de R$ 4,5 bilhões.

Jair Souto lembrou que esses recursos também não estão sendo repassados para órgãos do estado (Foto: Reprodução/Facebook)

“O governo do estado sonega inclusive a arrecadação principal do ICMS gerando inclusive improbidade. Nós queremos essa recomposição, nós queremos receber esses recursos e que, a partir de agora o governo possa corrigir e nos repassar mensalmente o que é devido para os órgãos do Estado e para os municípios do Amazonas”, disse Jair Souto, que definiu sua ida ao Legislativo Estadual como um pedido de apoio aos parlamentares estaduais, muitos deles com bases políticas e eleitorais no interior do Estado, para que os prefeitos do Amazonas possam receber recursos que lhes são devidos e que deveriam estar sendo investidos em seus respectivos municípios.

As declarações foram feitas durante entrevista ao site de notícias Radar Amazônico. Jair Souto afirmou que governo está se apossando do dinheiro das prefeituras do interior e denunciou que os prefeitos estão refém da política do “toma lá dá cá” praticada por Wilson Lima.

“O que é muito grave também é você ver o governo distribuir, durante três anos, parte do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo. Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas), que só no ano passado arrecadou mais de R$ 1 bilhão e 400 milhões, repassou para os municípios somente R$ 160 milhões e esse ano, infelizmente, ele (Wilson) simplesmente cortou esse recurso porque afirmam que ele vai passar apenas para os ‘considerados’. Isso é muito grave no Amazonas, nós estamos vivendo um ano eleitoral e isso é inclusive crime”, disse o presidente da AMM.

Na entrevista ao site, Jair Souto faz uma analogia entre a chantagem que o governador estaria fazendo utilizando os recursos dos fundos, e a distribuição de medicamentos. “Eu não posso distribuir remédios só para quem votou em mim. Tem que fazer política pública com todo respeito ao povo do Amazonas e não é o que estamos vendo nesse momento”, reclamou.

Jair Souto lembrou ao site que esses recursos também não estão sendo repassados para órgãos como Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), Ministério Público e Defensoria Pública, por exemplo.

“É muito grave ver a Defensoria, por exemplo, em muitos municípios ainda ausente por falta de recursos, o próprio Tribunal de Justiça e o Ministério Público que poderiam aumentar sua abrangência no Estado, que poderiam ter toda uma estrutura voltada para serviços públicos no interior do Amazonas, o Tribunal de Contas do Estado e esta Casa Legislativa e não tem receita pra isso. E não cabe renúncia de receita porque inclusive quem renuncia é improbo, isso não é legal, é improbidade administrativa” , lembrou o presidente da Associação dos Municípios ao Radar Amazônico.

Anúncio