Audiência pública debate possível terceira onda da Covid-19 no AM

ALE divulgou nesta quarta-feira (7) o plano de contingência criado para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Estado

Manaus – A Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE), realizou na tarde desta quarta-feira (7), audiência pública online para divulgar o plano de contingência criado para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 frente a chegada da terceira onda. Participaram da ocasião, deputados e representantes dos órgãos de controle e saúde Secretaria do Estado do Amazonas (SES-AM) e Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Intitulado como “Plano de enfrentamento à pandemia da Covid-19”, o documento foi desenvolvido com o objetivo de integrar a atenção primária com a vigilância em saúde, para rastreio de casos e trabalhar com a qualificação de estratégias nos territórios, olhando para os números em cada município, considerando que a realidade da capital é diferente da do interior do Amazonas.

ALE realizou na tarde desta quarta-feira (7), audiência pública online para debater sobre possível terceira onda da Covid-19 no AM (Foto: Divulgação)

O plano contém dez eixos com objetivo, gestão da informação, indicadores para avaliação de riscos da Covid-19, medias de enfrentamento prioritárias, gestão na rede de urgência e emergência, cenário de projeção de leitos clínicos e de UTI, capacidade instalada da rede, organização do eixo de assistência, plano de ação – transferências interestaduais e intermunicipais de pacientes e plano de comunicação.

Foram exibidos comparativos do total de casos, hospitalizações e óbitos nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021. Os números mostram uma diminuição e redução na pressão hospitalar da rede de assistência. Também foram exibidos números e comparativos dos últimos três meses da rede estadual de saúde interior. A partir disso foram divulgadas sete medidas divulgadas pela a Organização Panamericana de Saúde necessárias para o enfrentamento à Covid-19.

As medidas são vigilância genômica, com amostragem em regiões para avaliar a variação das cepas e possíveis escapes da vacina; vacinação com transparência e imunização do maior número possível com as primeiras doses; Manejo clínico com classificação de risco de pacientes para desospitalização e expansão de cuidados pós Covid; informação de prevenção à população; medidas para estados e municípios, como adoção de medidas restritivas severas para locais com capacidade de UTI acima de 80%; medidas epidemiológicas, como testagem em massa e isolamento de casos suspeitos e confirmados; fortalecimento da atenção primária, como monitoramento de casos; processo de acompanhamento da desospitalização; seguimento de contato e vacinação.

Outras medidas mostradas na apresentação foram novas formas de ação remota e ações no território; monitorar usuários e grupos sociais com maior risco e vulnerabilidade face à Covid-19; ampliar a sensibilidade da rede; assegurar a comunicação entre os pontos da rede; ampliar as ações de suporte às equipes da atenção básica com telessaúde e telemedicina.

Também foram construídos 5 cenários para estruturar a Rede de atendimento hospitalar no Estado, como cenários de projeção de leitos clínicos, matrizes de risco, projeções de necessidades de insumos, capacidade instalada da rede. Os números mostrados nos gráficos apresentados e projeções foram questionados e debatidos por parlamentares ao longo da audiência.

Anúncio