Base aliada de Wilson Lima quer afastar Josué Neto para impedir impeachment

Afirmação foi feita pelo deputado estadual Wilker Barreto, em entrevista nesta terça-feira (12) à RÁDIO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO

Manaus – O deputado estadual Wilker Barreto afirmou nesta terça-feira (12), em entrevista à RÁDIO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO, que a base aliada do governador do Estado, Wilson Lima, pretende afastar o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), deputado Josué Neto, para barrar a tramitação dos processos de impeachment de Wilson Lima e do vice-governador, Carlos Alberto Almeida Filho, no legislativo estadual.

De acordo com o deputado estadual Wilker Barreto, legalmente, não há nada que impeça Josué Neto de presidir o legislativo durante o processo porque presidente não votará no impeachment (Foto: Divulgação)

Em sessão virtual da ALE, realizada nesta terça, um grupo de 13 deputados estaduais – capitaneado pelas deputadas estaduais Alessandra Campelo (MDB) e a líder do governo Joana Darc (PL) – apresentou requerimento em que pedem o afastamento do presidente das discussões do processos de afastamento do governador e vice.

Para Wilker, o requerimento apresentado pelo deputado estadual Saulo Viana (PTB) mostra o “desespero” da base aliada do governador.

“Com esta proposta, assinada por 13 deputados em que pede o impedimento do presidente, quem assume é a deputado estadual Alessandra Campelo. Sabe qual a estratégia deles? Não querem o processo de impeachment porque temem a sociedade, o povo. Porque quando o processo for para comissão especial já terá um parecer. Com o impedimento do presidente da ALE, quem assume é a vice-presidente Alessandra Campelo que, se sentar na cadeira, arquiva, na hora, o impeachment”, afirmou Wilker Barreto.

Base aliada do governo Wilson Lima (Foto: Divulgação)

Ainda segundo o deputado, legalmente, não há nada que impeça Josué Neto de presidir o legislativo durante o processo porque presidente não votará no impeachment. “Quem faz isso é a comissão especial. O papel do presidente é apenas opinar pela admissibilidade ou negativa do pedido, de acordo com os preceitos legais”, explicou.

Sobre o assunto, Wilker questionou ainda por que os 13 deputados que querem afastar o presidente da ALE não assinam a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que pretende investigar os contratos da Saúde no Estado.