Bolsonaro cita recuo de Merkel e critica novamente lockdown

Chanceler alemã havia anunciado regras mais rigorosas de confinamento, mas voltou atrás após reunião com governadores

Brasília – Um dia após o anúncio da criação de um comitê de crise para enfrentamento à Covid-19 entre os três poderes, o presidente Jair Bolsonaro voltou a se posicionar contra as medidas mais rígidas de distanciamento social promovidas por prefeitos e governadores.

Bolsonaro cita recuo de Merkel ao criticar novamente lockdown. (Foto: Divulgação)

Ao responder a um apoiador que reclamou que em sua cidade haverá lockdown, o chefe do Executivo nacional citou o recuo da chanceler alemã, Angela Merkel, que desistiu de adotar regras de confinamento rigorosas no País durante o período da Páscoa.

“Angela Merkel [disse que] ia ter um lockdown nacional rigoroso e ela cancelou e pediu desculpa. Ela falou lá, segundo a imprensa, que os efeitos da fechar tudo é muito mais grave que os efeitos do vírus. Palavra dela, não é minha não”, afirmou.

A chanceler se reuniu com os 16 governadores do País e voltou atrás da medida, que seria implantada entre os dias 1º e 5 de abril, com fechamento de quase todo o comércio, além de centros de lazer, de cultura, lazer e esporte. Segundo ela, problemas de logística e o curto espaço de tempo comprometeriam o sucesso da ação.

Anúncio