Bolsonaro pede que diplomatas levem verdade do Brasil ao exterior

De acordo com o presidente, o governo está organizando uma viagem, entre Manaus e Boa Vista, para diplomatas de vários países sobrevoarem a Floresta Amazônica

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro participou nesta quinta-feira (22) da formatura dos novos diplomatas brasileiros, em cerimônia no Palácio Itamaraty, em Brasília. Em seu discurso, Bolsonaro orientou que mostrem a verdade do Brasil aos outros países, citando as medidas econômicas desenvolvidas pelo governo e as ações para preservação da Amazônia.

“Os senhores são importantíssimos para nós, na manutenção da paz, da nossa economia e em nossa liberdade. Lá fora, cada um de vocês é um pedaço do nosso Brasil. Do que mais nós precisamos é da verdade. Não podemos nos deixar vencer pela falsa narrativa. O mundo sempre esteve em guerra, nem que seja apenas nas comunicações”, disse.

De acordo com o presidente, o governo está organizando uma viagem, entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR), para diplomatas de vários países, “para mostrar naquela curta viagem de uma hora e meia que não verão em nossa floresta nada queimando ou sequer 1 hectare de selva devastada”.

Presidente Jair Bolsonaro participou nesta quinta-feira (22) da formatura dos novos diplomatas brasileiros  (Foto: © TV Brasil)

Em diversas ocasiões, o presidente Bolsonaro já defendeu a política ambiental do governo federal, diante de críticas internacionais, especialmente no que diz respeito ao desmatamento e às queimadas na Amazônia. “Não é fácil levar e falar a verdade, mas nós confiamos em vocês, nós temos que lutar por aquilo que é nosso, não podemos ceder”, disse Bolsonaro aos formandos.

Ordem de Rio Branco

Além da formatura dos novos diplomatas, Bolsonaro participou da imposição de insígnias da Ordem de Rio Branco, que reconhece a atuação de brasileiros e estrangeiros nas mais diversas áreas. Entre os agraciados de hoje estão ministros de Estados, militares e embaixadores. No total, foram 150 homenageados.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, e os ministros Milton Ribeiro (Educação), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e José Levi (Advocacia-Geral da União) foram admitidos no quadro suplementar da ordem em seu grau mais alto, o Grã-Cruz.

Instituída em 1963, a condecoração é dividida em dois quadros: ordinário, composto por diplomatas da ativa; e suplementar, que reúne diplomatas aposentados, pessoas físicas e jurídicas nacionais ou estrangeiras. A Ordem de Rio Branco tem cinco graus: Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro, além de uma Medalha anexa. Seu conselho é constituído pelo Presidente da República, Grão-Mestre da Ordem; pelo ministro das Relações Exteriores, chanceler da Ordem, pelos chefes das Casas Civil e Militar da Presidência da República e pelo secretário-geral do ministério.

Anúncio
Anúncio