Bolsonaro se encontra com líderes conservadores italianos

Ex-ministro do interior, senador Matteo Salvini agradeceu pela participação do Brasil no envio do terrorista Cesare Battisti à Itália

Brasília – Na cerimônia que homenageou, na cidade italiana de Pistoia, os 465 brasileiros que morreram em combate na Segunda Guerra Mundial — último compromisso oficial do presidente antes de retornar ao Brasil —, Bolsonaro se encontrou com o senador Matteo Salvini e o deputado Roberto Lorenzato, líderes do partido conservador italiano Liga.

Da esquerda para direita: deputado Roberto Lorenzato, Bolsonaro e senador Matteo Salvini. (Foto: Divulgação)

Matteo agradeceu Bolsonaro pela colaboração do Brasil na prisão, na Bolívia, do terrorista Cesare Battisti, que foi enviado diretamente à Itália, onde hoje cumpre prissão perpétua.

No encontro, Salvini disse que, às vezes, a Itália esquece “da importância do Brasil na liberação da Itália do nazifascismo pela FEB [Força Expedicionária Brasileira]”. O político italiano também pediu desculpas a Bolsonaro por causa dos protestos contrários a ele na Itália. “Hoje, a esquerda foi a tilt [pirou]”, afirmou.

Salvini era ministro do Interior da Itália quando ocorreu o episódio do barco, com 140 imigrantes, impedido de ancorar na Itália por três em 2019. Salvini, na ocasião, proibiu o desembarque os imigrantes.

 

 

Anúncio