Câmara Municipal de Manaus cobra fim de cortes na pandemia

A reunião foi proposta pelo vereador Wallace Oliveira (Pros), após denúncias de suspensões indevidas do fornecimento de energia, por parte da empresa Amazonas Energia

Manaus – O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (Comdec), vereador Márcio Tavares, do (Republicanos), abriu a primeira audiência pública da Câmara Municipal de Manaus de 2021, realizada no plenário Adriano Jorge. Estiveram presentes na composição da mesa: o vice-presidente da casa, vereador Wallace Oliveira (Pros); vice-presidente da Comdec, vereador Lissandro Breval (Avante); Nicolas Gomes, presidente da comissão de defesa do consumidor da OAB e Paulo Rogério, assessor jurídico da comissão de defesa do consumidor da Assembleia Legislativa do Estado(ALE).

Participaram de forma on-line, representantes dos órgãos de defesa do consumidor: Eduardo Paixão, titular da Delegacia do Consumidor; Christiano Pinheiro, defensor público (DPE/AM); Márcio André diretor presidente do Ipem; Maurílio Brasil, representante do Procon; Radyr Oliveira, diretor presidente da Amazonas Energia.

Vereadores solicitaram ainda um termo de ajustamento de conduta para a Amazonas Energia (Foto: Robervaldo Rocha/Dircom-CMM)

A reunião foi proposta pelo vereador Wallace Oliveira (Pros), após denúncias de suspensões indevidas do fornecimento de energia, por parte da empresa Amazonas Energia, assim como o fornecimento de informações acerca de medidas protetivas de segurança e providências a serem tomadas contra a poluição sonora e ambiental, causadas pelo funcionamento da Usina Termelétrica Mauá 3, zona Leste da cidade.

“A empresa não cumpre com os padrões estabelecidos nos decretos em vigor em relação à pandemia da covid-19, trazendo sérios prejuízos à população que tem o fornecimento de energia suspenso, medidores fora dos padrões, entre outros problemas. A audiência é para cobrar da Amazonas Energia as demandas que chegam à Câmara Municipal de Manaus, para que possamos responder de forma imediata com soluções à essas situações denunciadas”, afirmou Wallace.

O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da Amazonas Energia foi questionado pelo vereador Amon Mandel (Podemos). Ele declarou ter ligado para a empresa durante a audiência, passando dez minutos ao telefone, mas não conseguiu ser atendido.

“Pela Lei do (SAC), uma lei federal, a empresa teria até 60 segundos para atender essa chamada. Nós acabamos de ver aqui nessa sessão, o representante da Amazonas Energia dizendo que o consumidor pode ligar a qualquer momento pra fazer o registro da reclamação, mas isso é uma mentira deslavada. Simplesmente lamentável, que a empresa se dê o trabalho de vir, nessa casa, nesse parlamento municipal para falar uma mentira dessas”, ressaltou Amon.

Anúncio