Campêlo contradiz posição do Estado, que negava segunda onda

“Em setembro se verificou o problema e o plano de contingência onde o pior cenário é a repetição da primeira onda”, declarou Campêlo

Manaus – Ao contrário da posição do Governo do Amazonas, que negava a segunda onda de Covid-19 no final de agosto de 2020, conforme diversas matérias do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) com base nos estudos de pesquisadores, o ex-secretário de Saúde do Estado, Marcellus Campêlo, disse que o Amazonas se preparava, em setembro, para uma nova onda da pandemia.

A declaração que negou o que o Estado pregava à época foi relatada há pouco no depoimento de Campêlo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado Federal. Segundo o ex-secretário, a equipe do Estado, incluindo a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), se preparava para uma segunda onda no mesmo cenário enfrentado na primeira, em 2020. “Em setembro se verificou o problema e o plano de contingência onde o pior cenário é a repetição da primeira onda”, disse Campêlo.

Naquela altura, as autoridades sanitárias do Estado contestavam as projeções dos pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) sobre uma segunda onda com possibilidade de maior gravidade do que a primeira fase, no ano passado.

***Mais informações em instantes****

Anúncio