Celso Sabino aceita convite de Lula para ser ministro do Turismo

Deputado federal do Pará vai substituir Daniela Carneiro, que voltará para a Câmara

Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convidou, na tarde desta quinta-feira (13), o deputado federal Celso Sabino (União-PA) para assumir o Ministério do Turismo, em substituição a Daniela Carneiro. Em nota, o Palácio do Planalto afirma que o convite foi aceito e que a nomeação será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

(Foto: Câmara dos Deputados)

Na quarta-feira (12), Lula se reuniu com o senador Davi Alcolumbre (União-AP), homem forte do partido, que negociou cargos durante a transição do governo federal no ano passado. Na reunião, o parlamentar apoiou a indicação de Sabino e disse que ele representa consenso na bancada da legenda.

Atualmente, a sigla comanda os ministérios das Comunicações (Juscelino Filho) e do Desenvolvimento Regional (Waldez Góes). Esse último, por exemplo, foi indicado por Alcolumbre. O União Brasil vem pleiteando outros cargos, como o comando da Embratur, chefiada por Marcelo Freixo (PT-RJ), aliado de Lula, e dos Correios. No entanto, ainda não há definição sobre trocas nesses órgãos.

Lula se reuniu com Daniela na última semana no Palácio do Planalto. A demissão era aguardada na ocasião, mas não ocorreu. No dia, ela pôs o cargo à disposição, mas o presidente queria se reunir com membros da cúpula do União Brasil antes de efetivar a substituição. Em entrevista exclusiva à Record TV nesta quinta-feira, o presidente comentou o episódio.

“A [saída da] ministra Daniela já estava prevista. Aliás, a ministra Daniela, eu disse para ela, ela não deveria ter saído do partido. Na hora em que ela sai, fica difícil. Mas eu conversei com a Daniela, e está tudo bem. E está bem também com o companheiro que vai entrar no União Brasil. E penso que o barco vai continuar seguindo nesse mar calmo, tranquilo, que nós estamos vivendo”, afirmou Lula.

Com a saída do ministério, Daniela retorna para a Câmara. Ela foi a deputada federal mais votada do Rio de Janeiro nas eleições do ano passado, com 213,7 mil votos. A ministra vai ganhar o cargo de vice-líder, como previa o acordo, e assumir relatorias de projetos importantes para o Executivo neste segundo semestre do ano.

O acordo para a demissão de Daniela envolve a construção de um hospital, uma escola técnica e duas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento). Todas as obras seriam feitas em Belford Roxo, município no Rio de Janeiro que é a base da ministra. De acordo com o prefeito da cidade, Waguinho, a ideia do governo é anunciar os investimentos em agosto, durante uma agenda no local.

Anúncio