Ciro Gomes critica reforma tributária ao palestrar na Ufam

O ex-presidenciável afirmou serem “inaceitáveis” as atuais propostas de reformas tributárias. Em outro momento, criticou proposta de Bolsonaro de plantar cana no Amazonas

Manaus – Na tarde desta quinta-feira (28), o ex-presidenciável Ciro Gomes esteve na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), acompanhado do presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Hissa Abrahão, onde proferiu uma palestra sobre projetos de desenvolvimento nacional e regional.

Em coletiva de imprensa, Ciro Gomes abordou temas importantes para a Região Amazônica, como a reforma tributária, em tramitação no Congresso Nacional, e a BR-319. Atualmente existem duas propostas de reforma tributária, uma tramitando pela Câmara dos Deputados e outra pelo Senado Federal.

“Esses projetos não são sequer merecedores do nome reforma tributária, (pois isso) é uma tentativa de simplificação tributária. A lógica antecedente é a criação do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), que é o imposto sobre bens e serviços. A lógica do IVA é a cobrança do destino. Se você faz isso, acaba completamente com as estruturas de incentivos fiscais do Nordeste e Norte, precisamente a Zona Franca de Manaus (ZFM). Essas duas propostas que estão tramitando são inaceitáveis, mas a do Governo, que não conhecemos ainda, precisamos aguardar porque as duas que estão tramitando pelo Senado e Câmara Federal tem esse defeito”, declarou.

Quando questionado se teria uma proposta de reforma tributária, Ciro Gomes rebateu que já está escreveu e anunciou sua ideia de incentivo ao modelo ZFM na Região Amazônica. “A minha proposta é bem simples. A ZFM tem que ser preservada e o que precisamos fazer é criar um conjunto de incentivos adicionais para verticalizar e interiorizar, agregando valor ao modelo”, disse.

Em visita recente à Manaus, o presidente da República, Jair Bolsonaro, falou sobre o incentivar a plantação de cana-de-açúcar no Amazonas, proposta não aplicável na região, segundo Ciro Gomes.

“Isso é uma proposta absolutamente estúpida, que só é possível ser afirmada por alguém que nunca se deteve em conhecer o Brasil de verdade. Bolsonaro explora um sentimento de abandono que o povo amazônida tem em relação ao poder central e tirou uma votação extraordinária por causa disso. Porém, é um grosseiro equívoco para quem, como eu, conhece a Amazônia e ainda tem necessidade de estudar sobre a Região. Inclusive nesta sexta-feira (29) tenho uma reunião, não para falar, mas para ouvir os cientistas do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA)”, declarou.

Outro tema bastante debatido e de interesse da população da Região Norte foi a situação da Rodovia BR-319, que é uma alternativa para o escoamento da produção agrícola, turismo e a interligação da população local aos demais Estados do Brasil.

“Atualmente o Amazonas representa uma parcela de 8% da produção industrial brasileira e não tem uma conexão rodoviária com o País? Não se trata de flexibilizar as Leis Ambientais, como declarado pelo presidente (Jair Bolsonaro). O que se trata é o zoneamento econômico e ecológico. Temos que lembrar que a BR-319 já existiu e já foi licenciada. Agora é estabelecer um projeto de contenção da depredação que acontece quando a infraestrutura é descuidadamente jogada”, justificou.

Encerrada a coletiva de imprensa, os filiados do PDT adentraram o Auditório Eulálio Chaves e foram recebidos, calorosamente, por todos os presentes. Na abertura, a ‘Mocidade Independente do Coroado’ se apresentou para o público e em seguida o presidente municipal do PDT, Hissa Abrahão, iniciou a palestra. A noite finalizou com a palestra do Ciro Gomes, que foi aplaudido.

Anúncio