CNJ considera legal nomeação do desembargador João Simões para a Esmam

A escolha do magistrado para a instituição foi um dos primeiros atos após o desembargador Domingos Chalub tomar posse para mais um biênio na direção do TJAM

Brasília – O Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) considerou legal e legítimo o ato do presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Domingos Chalub, que nomeou o desembargador João Simões para o cargo de diretor da Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam). Por 14 votos a 1, o Plenário acompanhou, na tarde desta terça-feira (4), o voto divergente, proferido pelo corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins.

O último voto foi do ministro Dias Toffoli, que presidiu a sessão e também votou pela divergência, considerando lícita a nomeação do desembargador João Simões para dirigir a Esmam. A escolha do magistrado para a instituição foi um dos primeiros atos após o desembargador Domingos Chalub tomar posse para mais um biênio na direção do TJAM.

O desembargador João Simões é o novo diretor da Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam) (Foto: Jair Araújo/Arquivo-GDC)