Comissão da ALE quer Ministério Público do AM no caso Sara

A Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens vai pedir ao MP apuração do envolvimento do candidato Wilson Lima com uma menor de idade

Manaus – A Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens, da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), vai ingressar com um pedido de investigação para que o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) apure a afirmação de uma fã do candidato a governador Wilson Lima de que manteve relações sexuais com ele quando era menor de idade. Nesta quarta-feira (19), a jovem Ana Sara Oliveira da Silva depôs na Delegacia Interativa, em Manacapuru, sobre o caso que será investigado pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente, em Manaus.

Deputados da Assembleia vão pedir investigação sobre o candidato Wilson Lima. (Foto: Raquel Miranda)

O anúncio foi feito, nesta quarta-feira, pelo vice-presidente da Comissão, deputado estadual Platiny Soares (PSB). O parlamentar disse que vai encaminhar ao MP-AM um documento solicitando a abertura de investigação acerca da conduta do apresentador Wilson Lima, por ter mantido relações sexuais com a fã. “Não concordo com esse tipo de fato e lutarei para combater crimes como esse. Como membro da comissão e na qualidade de parlamentar, não devo e não tenho o direito de deixar uma matéria como essa passar em branco”, disse Platiny.

O pedido foi feito após diversas matérias de veículos de comunicação citando que o jornalista Wilson Lima manteve relações com uma adolescente. Em entrevista ao site de notícias Amazonas Atual, Ana Sara relata, também, ameaças atribuídas a Wilson e a sua família.

“Estou trazendo esse documento para que os demais deputados possam subscrever. Ele exige que haja uma apuração desses fatos, que hoje é evidente com os depoimentos da garota Sara”, disse.

O também deputado estadual Sabá Reis (PR) realizou, nesta quarta, um discurso afirmando que o candidato Wilson Lima mentiu quando disse que levou a moça apenas para jantar e fez duras críticas ao candidato ao governo. “Tenho muita preocupação do constrangimento que toma conta deste farsante, deste laranja. Mas a minha preocupação maior é com a família da Sara e vou repetir aqui: Wilson, deixe a família da Sara em paz. Deixa a mãe dela em paz. Processe a mim. Se tu estás se sentindo ofendido, processe a mim”.

O encontro de Wilson com Sara veio a público depois que a revista Veja informou que o candidato registrou um Boletim de Ocorrência, em 2014, na Delegacia de Homicídios e Sequestros, dizendo ter sido “insistentemente assediado por uma de suas inúmeras fãs”, com quem teria ido a um jantar, em 2012. A revista Veja disse que Wilson Lima é apresentador de programa de TV de cunho popular e sensacionalista. O candidato disse que os fatos que envolvem o seu encontro com a garota são “ataques com motivação política”.

Sara disse, em entrevista ao portal de notícias Amazonas Atual, que, em 2014, após publicar uma fotografia com Wilson, ele exigiu que ela lhe enviasse os dados da conta dela no Facebook, para que ele retirasse a foto. “Eu fui tratada como bandida e não sou bandida”, disse Sara. A mãe de Sara, Leila Oliveira, de 39 anos, disse que tomou conhecimento do relacionamento de Wilson Lima com a filha pelo pai da menina, que a informou que o apresentador foi buscá-la para jantar.

REDE DIÁRIO repudia uso de imagem de forma criminosa

A REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) repudia o uso irregular e criminoso de montagem de um dos seus vídeos de reportagem produzido e veiculado nas redes sociais e na TV RECORD NEWS MANAUS com informações verídicas ter sido desvirtuado para denegrir a imagem de um dos candidatos ao governo do Estado na eleição deste ano.

O fato é repudiado pela REDE DIÁRIO, que não possui candidato ao governo do Estado, nem utiliza os seus canais de mídia para favorecer ou defender políticos que já integraram seus quadros de colaboradores.

Nesta quarta-feira (19), a RDC tomou conhecimento do uso de vídeo deste grupo de comunicação, editado de forma criminosa, para atingir o candidato da coligação ‘Transformação por um novo Amazonas’, Wilson Lima (PSC).

A RDC sempre pautou suas reportagens com base nas boas práticas jornalísticas, dando espaço a todos os citados e, de forma imparcial, tratando todos os candidatos com isenção. A edição criminosa tenta passar uma imagem distorcida da RDC e, essa prática, sempre será combatida.

Com o perfeito conhecimento sobre a utilização indevida da reportagem da RDC em uma montagem de imagens sem contexto com a realidade, o apresentador Clayton Pascarelli, em programa da TV A Crítica, reproduziu trechos da mesma com a imagem de um dos nossos colaboradores e equipamentos que identificam a REDE DIÁRIO.

O ato induziu o telespectador a acreditar que a emissora do grupo RDC foi responsável por produzir o material criminoso e reconhecidamente falso, contribuindo para distorcer propositadamente a realidade e, com isso, denegrir a imagem da REDE DIÁRIO, iniciativa passível de ação judicial.

Anúncio