Compra de bicicletas pode ter subsídios e projeto beneficia produção em Manaus

As bicicletas deverão ser destinadas, preferencialmente, ao uso comunitário dos trabalhadores, e os bicicletários serão construídos dentro das sedes ou subsidiárias das empresas

Brasília – Empresas poderão ter acesso a empréstimos subsidiados para compra de bicicletas e construção de bicicletário para uso dos funcionários. É o que prevê projeto que está na pauta da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Segundo o PLS 317/2014, do ex-senador Fleury (DEM-GO), as bicicletas deverão ser destinadas, preferencialmente, ao uso comunitário dos trabalhadores, e os bicicletários serão construídos dentro das sedes ou subsidiárias das empresas que pediram os empréstimos.

Projeto pode aumentar vendas de bicicletas do Polo de Manaus (Foto: EBC)

Os financiamentos serão subsidiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ou por outra instituição financeira credenciada. Poderão ser pagos em até dez anos, com três de carência, e custo financeiro equivalente à Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), acrescida dos encargos do BNDES.

Favorável à proposta, o relator, Sérgio Petecão (PSD-AC), destaca as vantagens do uso da bicicleta, como melhoria da qualidade de vida do usuário, da saúde pública, da sustentabilidade e da mobilidade urbana. Ele também defende a construção de bicicletários como forma de estimular o uso de bicicletas como meio de transporte.

O relatório de Petecão propõe o arquivamento do PLS 383/2014, pois ele repete o texto do PLS 317, que é mais antigo. Os dois projetos tramitam em conjunto. O PLS 317 será votado em decisão terminativa. Se aprovado, segue para a Câmara, a menos que haja recurso para votação pelo Plenário do Senado.

O projeto, se aprovado, pode ajudar a economia do Amazonas, no Polo Industrial de manaus (PIM, onde está concentrada a produção de bicicletas do Brasil. A produção de bicicletas no PIM fechou 2017 com 667.363 unidades fabricadas, leve redução de 0,4% na comparação com as 669.729 fabricadas no ano anterior. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), que projeta crescimento de até 9% em 2018.

A previsão é que sejam produzidas cerca de 727.000 unidades. De acordo com as análises da Abraciclo, o mês de dezembro apresentou alta de 43,5% (21.879) sobre as 15.245 bikes produzidas no mesmo mês de 2016. Já na comparação com novembro (77.254) houve recuo de 71,7%.

Com relação ao volume de produção dos segundos semestres de 2017 e 2016, foram produzidas 371.088 unidades no semestre final de 2017, ante 352.101 unidades em igual período de 2016. Por outro lado, de janeiro a julho, foram fabricadas 361.241 bicicletas, o que mostra recuo de 4,4% com relação ao mesmo período de 2016 (377.798).

Anúncio