Conselheiro Érico Desterro toma posse como presidente do TCE-AM nesta terça-feira

Este será o segundo mandato do conselheiro Érico Desterro a frente da presidência da Corte de Contas

Manaus – O conselheiro Érico Desterro foi empossado nesta terça-feira (21) como presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) para o biênio 2022-2023, durante solenidade realizada no auditório do TCE-AM, que teve início às 10h. Na mesma solenidade, foram empossados os conselheiros Yara Lins dos Santos, como vice-presidente do TCE-AM; Ari Moutinho Júnior, como corregedor da Corte de Contas; Josué Cláudio, como ouvidor, e o conselheiro Mario de Mello, como coordenador da Escola de Contas Públicas (ECP).

Este será o segundo mandato do conselheiro Érico Desterro a frente da presidência da Corte de Contas. Servidor de carreira do TCE-AM, o conselheiro Érico Desterro também já foi corregedor, vice-presidente, coordenador da ECP, e, mais recentemente, o ouvidor do TCE-AM.

Este será o segundo mandato do conselheiro Érico Desterro a frente da presidência da Corte de Contas (Foto: Divulgação / TCE-AM)

Em seu último discurso como presidente da corte de Contas, o conselheiro Mário Manoel Coelho de Mello agradecei mencionou a posse da nova composição do TCE-AM para o próximo biênio e recordou o dia que iniciou, há 2 anos, e mencionou que foi um dos seus maiores desafios.

“Empenhei-me durante toda a presidência do TCE sabedor de que a missão não seria fácil, como nunca foi fácil como todos aqueles que ao longo de todos os 71 anos, dirigiram essa casa nas mais variadas e difíceis situações, em busca do crescente desenvolvimento do nosso tribunal”, disse.

Durante o discurso Mário de Mello também vislumbrou o furo da corte de contas, de forma que o futuro sucessor possa encontrar uma escola equilibrada, moderna, inovadora, atuante e conectada com o país e o mundo.

“Deixo a presidência dessa corte consciente da admissão das responsabilidades do cargo e da sua importância para promover e estimular as práticas administrativas. Hoje entrego […] em excelentes mãos, honradas, competentes, do conselheiro e também querido amigo, Érico Xavier Desterro da Silva […] não tenho a menor dúvida que vossa excelência dará continuidade ao que foi desenvolvido em nossa administração”, diz.

O conselheiro Mário de Mello, finalizou o discurso mencionando o sentimento de missão cumprida e citou as qualidades pelas quais a sua administração prezou.

“Providenciamos pelo trabalho duro, pela persistência, pelo domínio da tecnologia, dessa corte de contas do nosso querido estado do Amazonas as condições ou as circunstâncias necessárias para que podermos dizer hoje com muito orgulho e indiscutível alegria, uma só frase que resume tudo aquilo por que passamos, a trajetória que seguimos e o lugar onde chegamos: missão cumprida”, finalizou.

Antes do discurso do conselheiro empossado, também discursaram o conselheiro Ari Jorge Moutinho da Costa Júnior e o Procurador geral do Ministério Público de Contas do Amazonas, João Barroso de Souza.

Após fazer agradecimentos, o presidente empossado Érico Desterro começou seu discurso se referindo ao ano de 2022 como um ano de incertezas e desafios, citando a fragilidade econômica, necessidade de reformulação das relações de trabalho e desafios advindos dos avanços da tecnologia.

“Nenhuma estrutura organizacional, nenhuma instituição pública, ou privada sobreviverá se não estiver sensível às mudanças aceleradas da tecnologia, da informação e da comunicação e aos novos modelos de relacionamento social […] somente instituições públicas ou privadas, comprometidas com as integridades de suas ações, de seus agentes, de seus objetivos, poderão sobreviver em um futuro próximo”, pontuou.

O presidente do TCE afirmou que as organizações, em particular as públicas, devem empenhar-se em disseminar a informação correta, conhecimento verdadeiro e dados reais. Ele também cita que em contrapartida dos avanços tecnológicos, a sociedade passa ao mesmo tempo pela era da desinformação.

“Num mundo cada vez mais rico de possibilidade geradas pelo extraordinário desenvolvimento da tecnologia da informação, vivemos paradoxalmente a era da desinformação e da ignorância. O chamado tempo da pós-verdade. A ignorância hoje não possui vergonha, ao contrário, ela é audaciosa, é pior, é agressiva”, disse.

O presidente Érico Desterro finalizou o discurso que vai atuar com transparência e verdade como presidente do Tribunal de Contas do Amazonas pelos próximos dois anos.

“Assumo um compromisso com a verdade e com a transparência e como natural decorrência disso, também com respeito absoluto aos valores tutelares democráticos de direito e as bases fundantes da nossa república”, afirmou.

Acompanhe a cerimônia de posse:

Matéria atualizada às 12h25

Anúncio