‘Contra a mentira, existe a justiça’, diz David Almeida em entrevista à Rádio Diário

David Almeida deu a declaração em relação as ações contra ele no TRE-AM, que foram consideradas improcedentes

Manaus – “Contra a mentira, existe a justiça”, disse o ex-deputado estadual David Almeida (Avante), em sua participação, na manhã desta segunda-feira (27), no programa ‘Diário da Manhã’, da RÁDIO DIÁRIO 95.7 FM, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), em relação ao julgamento das Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) contra ele, que foram consideradas improcedentes pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

O ex-deputado estava sendo acusado de ter usado a máquina pública para benefício próprio (Foto: Kamila Barros/Divulgação)

Para Almeida, ao assumir um cargo público, a pessoa está exposta a passar por situações semelhantes. Nas ações julgadas, o ex-deputado estava sendo acusado de ter usado a máquina pública para benefício próprio, enquanto exercia o cargo de governador do Estado.

“Quando você exerce um cargo de governador, você troca as secretarias, seus assessores. O Estado tem quase seis mil cargos comissionados e o meu secretaria, na época, mudou alguns servidores, e disso surgiu uma ação, como se tivesse mudado o resultado de uma eleição, do qual eu nem fui candidato”, disse.

Perguntado sobre quem teria entrado com as ações contra ele, Almeida preferiu não revelar. De acordo com ele, foram arroladas nas ações mais de 60 testemunhas, sendo que apenas três compareceram. Dessas, duas cometeram crime de falso testemunho e estão sendo processadas na Polícia Federal.

“Nós abrimos processo contra elas, e, a única que foi efetivamente ouvida, ela não confirmou nenhuma das informações. Tudo o que aconteceu foi em função de matérias jornalísticas criadas, plantadas, à época, para me desgastar politicamente. Eu busquei no foro apropriado, que é a Justiça, porque a justiça da internet te condena muito fácil”, pontuou.

blank

Para Almeida, ao assumir um cargo público, a pessoa está exposta a passar por situações semelhantes (Foto: Kamila Barros/Divulgação)

Novo partido

Almeida contou que, quando se filiou ao Avante, um grupo de pessoas tentou impedir a sua entrada.

“Entrei em maio de 2019, e, já no mês de setembro, tiveram pessoas querendo tomar o partido de mim. Não conseguiram. Em novembro, eu recebi uma ligação do partido dizendo: ‘olha, mais uma vez vieram aqui, ofereceram cargos, dinheiro e estrutura’. Eu estou esperando finalizar o mês de janeiro, e eu vou dizer quem foram, quanto ofereceram e qual estrutura ofereceram, em nome de tirar o Davi da eleição”, contou.

Conforme Almeida, trata-se de um grupo de pessoas, no qual ofereceram muito dinheiro e cargos em secretarias. “A população precisa saber, e eu vou fazer com que essas pessoas saibam”, acrescentou.

Eleições

Almeida afirmou que, no ano passado, o partido ao qual ele está filiado o indicou como pré-candidato a prefeito de Manaus, para as eleições que devem acontecer neste ano.

“Eu já estou trabalhando com equipes de saúde, educação, infraestrutura, mobilidade, transportes coletivos, políticas para juventude e para as mulheres, esporte, para apresentar uma proposta para Manaus de solução para os problemas”, ressaltou.

blank

“Eu já estou trabalhando para apresentar uma proposta para Manaus” (Foto: Kamila Barros/Divulgação)

Anúncio