CPI convoca ‘Carla’ para esclarecimento

Em declaração na CPI da Saúde, depoente citou o nome de Carla Pollake como responsável por convocar reunião, em abril, com nova secretária de Saúde. CPI quer saber quem é esta personagem

Manaus – A Comissão Parlamentar de Inquérito da Saúde (CPI) aprovou requerimento para convocar Carla Pollake da Silva para depor a fim de esclarecer afirmação feita nesta sexta-feira (26), pelo depoente e ex-secretário executivo da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), o advogado João Paulo Marques, de que Carla foi quem recebeu e apresentou a atual secretária do órgão, Simone Papaiz, aos funcionários da Susam, como uma eminência para do governo Wilson Lima.

Chamou atenção dos membros do colegiado o fato de Carla fazer as “honras da Casa” antes mesmo da apresentação formal ser feita pelo próprio governador Wilson Lima, o que, segundo os deputados estaduais, demonstra a importância de Carla Pollake na estrutura administrativa do governo.

CPI da Saúde quer saber quem é Carla Pollake na estrutura administrativa do governo Wilson Lima (Foto: Divulgação)

A reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) apurou que, nas redes sociais, Carla se apresenta como professora da Faculdade Cásper Líbero (sediada em São Paulo) e gerente na TV A Crítica, emissora de TV onde trabalhava o atual governador antes de ser candidato em 2018.

Ainda de acordo apuração do GDC, Carla não possui vínculo formal com o governo do Estado e, aparentemente, atua de forma “voluntária” no governo de Wilson Lima.

Veja declaração do depoente sobre a participação de Carla Pollake no governo Wilson Lima

Ao aprovar a convocação, o presidente da CPI considerou que Carla Pollake foi “citada pelo depoente como a pessoa que convocou, não só ele (João Paulo Marques), mas a secretária de Saúde que estava entrando naquele momento (Simone Papaiz), em abril, e o coordenador de despesas Perseverando (da Trindade Garcia) para uma reunião que aconteceu na sala da Casa Civil (do governo do Estado)”.

Em seguida, o deputado Dr. Gomes (PSC), da base aliada, se manifestou contra a convocação. “Não vejo sentido em convocar uma secretária”. Em seguida, corrigiu: “uma assessora, perdão. Ela, certamente, é uma assessora”. No entanto, não há registros em Diários Oficiais da nomeação da funcionária da TV A Crítica na estrutura do governo do Estado.

O presidente da Comissão, Delegado Péricles (PSL), disse que a importância da convocação se deve de “no dia 8 de abril, no momento em que ele (o depoente) homologou a aquisição dos respiradores, ela (Carla) convocou uma reunião com ele (João Paulo), então secretário em exercício; com a senhora Simone, que iria assumir a secretaria; e com outros integrantes da Secretaria de Saúde.. De acordo com presidente, é preciso saber a motivação disto. “Tanto que ele homologou a aquisição dos respiradores no momento da reunião”, acrescentou

O deputado Wilker Barreto disse que o dia 8 de abril era um momento crítico da pandemia e que a apresentação de uma nova secretária de Estado deveria ter sido feita pelo governador ou pelo vice-governador. “Eu quero saber qual a expertise que tem esta senhora na área de Saúde, porque a reunião era exclusivamente para tratar de Saúde. Não se tratou apenas de uma apresentação. Com certeza, se avançou na estratégia e isto foi levantado pelo depoente. Cabe a esta comissão seguir o ‘faro’ dos depoimentos. É assim que funciona uma CPI”, disse Wilker.

O requerimento foi aprovado por quatro membros da Comissão com voto contrário do deputado Dr. Gomes.

Vídeo mostra pedido para que ex-secretária assine documentos

Durante a sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, nesta sexta-feira (26), foi ouvido o ex-secretário executivo da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam), João Paulo Marques dos Santos.

Durante seu depoimento, Santos foi perguntado se pediu a ex-secretária executiva da Susam, Dayana Mejia, que assinasse algum documento retroativo. Ele negou. Ao ser confrontado pelos deputados que compõem a Comissão sobre a falsificação da assinatura da ex-secretária, ele disse que viu a irregularidade e pediu para que Dayana assinasse.

Durante a CPI, o deputado estadual Delegado Péricles exibiu um vídeo em que o advogado João Paulo mostra o contrato de alocação do Hospital Nilton Lins, sem assinaturas, pedindo que Dayana Mejia assinasse. “Não tá assinado, por isso que estamos precisando de sua assinatura. Foram feitos alguns ajustes, algumas alterações de serviços que eles não tinham. Olha o despacho que está pendente. O Caio (Henrique Faustino da Silva, gerente de projetos) já assinou, falta você. O projeto base da Nilton Lins também tá pendente”, diz o áudio do vídeo.

A CPI decidiu que solicitará judicialmente o afastamento de João Paulo Marques dos Santos, ex-secretário executivo da Susam, do cargo procurador-chefe da Superintendência de Habitação (Suhab), atualmente ocupado por ele após sua exoneração da pasta da Saúde.

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) afirmou que houve irregularidades no contrato do hospital de campanha da Nilton Lins. A declaração do parlamentar se baseia no depoimento de João Paulo Marques, onde o mesmo admitiu que houve erros tanto no projeto da unidade hospitalar de tratamento do novo coronavírus.

Veja o vídeo.