CPI da Asfixia já tem cinco assinaturas na ALE

Na última terça-feira (6), o deputado Delegado Péricles (PSL) apresentou requerimento para instalação da CPI da Asfixia no Amazonas

Manaus – Vinte e quatro horas após sua apresentação, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Asfixia, proposta pelo deputado estadual Delegado Péricles (PSL) na última terça-feira (6), já soma cinco assinaturas. A propositura que tem como objeto investigação sobre a crise de oxigênio no Amazonas em janeiro deste ano, recebeu aditivo nesta quarta-feira (7) ampliando sua linha de trabalho também para todos os contratos e as despesas efetuados pelo Executivo no período de pandemia.

Assinaram a CPI até o momento os deputados Delegado Péricles (PSL), Serafim Correa (PSB), Sinésio Campos (PT), Dermilson Chagas (Podemos) e Wilker Barreto (Podemos).

Na última terça-feira (6), o deputado Delegado Péricles (PSL) apresentou requerimento para instalação da CPI da Asfixia no Amazonas (Foto: Divulgação)

“Considerando a importância de objetivo específico para melhor encaminhamento dos trabalhos de uma Comissão, propus a CPI da Asfixia e já começamos com três assinaturas. Após debates sobre outras questões necessárias para esclarecer o que de fato resultou no caos que a população vivenciou, acrescentamos aditivo – a pedido do deputado Wilker Barreto – e daremos continuidade à investigação de contratos firmados no período de pandemia no Amazonas pelo Executivo”, explicou o parlamentar, que presidiu a CPI da Saúde de maio a setembro de 2020.

Durante apresentação do pedido de instalação da CPI da Asfixia, o parlamentar reforçou necessidade de trabalho focado no que de fato resultou nos dias de falta de oxigênio nos hospitais do estado. “Não tem como calarmos para tudo que aconteceu. Precisamos fiscalizar, apurar o que aconteceu e gerou o caos que nossa população vivenciou e que resultou em tantas mortes”, concluiu.

Anúncio