CPI revela que Nilton Lins tinha UTI’s vazias

O médico Ricardo Goes Figueiras, do Conselho Regional de Medicina (CRM-AM), revelou que UTI da Nilton Lins não estava totalmente equipada. Havia quatro leitos preparados para receber os pacientes

Manaus – Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde voltaram a ouvir depoimentos de envolvidos na saúde pública do Amazonas, na tarde desta quinta-feira (16). A reunião começou por volta das 15h30 com o depoimento do médico Ricardo Goes Figueiras, do Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM), que descreveu sobre a visita técnica realizada no hospital de campanha da Nilton Lins, no dia 18 de abril.

“A UTI não estava totalmente equipada. Havia quatro leitos preparados para receber os pacientes”, disse Figueiras, que também é conselheiro do CRM. Neste dia, a unidade de saúde recebeu cinco pacientes infectados com o novo coronavírus (Covid-19).

“Nós verificamos que não havia pacientes até o momento, e que o primeiro paciente chegou após a nossa saída do hospital. De fato, todos os ambientes aguardavam pacientes. Lá estavam os profissionais da saúde, equipe médica, enfermeiros”, relatou o médico.

O Conselho de Mediciona constatou escassez de medicamentos na farmácia da unidade de saúde (Foto: Divulgação/ALE)

Ainda segundo Ricardo Figueiras, foi constatada a escassez de medicamentos na farmácia da unidade de saúde. “O que foi observado é que a farmácia tinha um equipamento mínimo para um ou dois dias, que foi contado na hora pela equipe da Vigilância Sanitária. Mas, de fato, a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) não estava totalmente equipada. Havia quatro leitos completos, dos 16 que tinham lá, preparados para receber os pacientes”, explicou.

Os membros da CPI da Saúde também questionaram o médico sobre a quantidade de respiradores pulmonares na unidade de saúde, rouparia específica para os leitos e a quantidade de medicamentos.

Polêmica

A CPI decidiu reagendar o depoimento da proprietária da Norte Serviços Médicos, Criselídea Bezerra de Moraes, para a próxima quarta-feira (22), às 15h, em ambiente virtual. A decisão foi aprovada, nesta quinta-feira (16), após os membros da CPI avaliarem como instável a condição física e emocional da depoente durante comparecimento à reunião na Comissão. Criselídea é atual dona da empresa que prestou serviços de lavanderia ao hospital de campanha da Nilton Lins durante o período de pandemia e prestará os devidos esclarecimentos da casa dela.

A Norte Serviços Médicos é responsável por lavar 44 toneladas de roupas hospitalares em menos de 15 dias. A reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) apurou que no local informado para o funcionamento da lavanderia, existe uma oficina mecânica há mais de dez anos.

Repúdio

O deputado estadual Delegado Péricles (PSL) repudiou qualquer tipo de ameaça direcionada aos membros da CPI. A declaração foi dada logo após o parlamentar ser abordado por um dos advogados da proprietária da Norte Serviços e ouvir dele que seria denunciado por abuso de autoridade caso insistisse na fala da depoente. A ameaça foi feita enquanto os deputados se preparavam para a oitiva e o parlamentar conversava com os advogados.

***Matéria atualizada às 23h59***

Anúncio