Delegado Péricles defende reabertura gradual do comércio no AM

Segundo o deputado, ‘Devemos ter responsabilidade e cautela quanto à propagação do vírus, mas não podemos deixar nosso povo morrer de fome’

Manaus – O deputado estadual Delegado Péricles defendeu a reabertura gradual do comércio, na manhã desta quinta-feira (18), na Tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE). Com dados de empresas que tiveram de fechar as portas e número de desempregados, o parlamentar reforçou a necessidade de manter a cautela quanto à propagação do vírus, mas lamentou que a falta de medidas da gestão estadual esteja deixando muitas famílias sem ter como sobreviver.

“Já são dez mil desempregados, segundo a Abrasel. São 10 mil trabalhadores sem ter como sustentar suas famílias. Não podemos deixar que esses números continuem aumentando. Devemos ter responsabilidade e cautela quanto à propagação do vírus, mas não podemos deixar nosso povo morrer de fome. Esses dez mil desempregados vão viver de quê? Eles não querem R$200 de auxílio, querem trabalhar. Já passou da hora de agir. Precisamos ter cautela e responsabilidade quanto à Covid-19, mas precisamos gradualmente reabrir o comércio”, afirmou o deputado.

De acordo com dados apresentados por Péricles, 211 empresas fecharam as portas em dezembro de 2020 e 191 já encerraram trabalhos em janeiro deste ano. Para ele, o caos da alta incidência de Covid-19 no Amazonas foi agravado pela corrupção, incompetência, má gestão.

“A corrupção tem causado um mal sem precedentes à nossa população. Falei de números de empresas que fecharam, imagina se fôssemos contabilizar as que têm apenas sobrevivido a esse momento? Os trabalhadores informais, empresários, autônomos, têm sido penalizados a ponto de não terem como sustentar os seus. Isso é grave! O Estado sequer apresentou medidas, se preparou para minimizar os impactos deste momento na economia, na vida desses trabalhadores”, continuou.

Fiscalização direcionada

Ainda em discurso na Tribuna, o deputado estadual Delegado Péricles afirmou ter recebido denúncias de que o Procon-AM tem agido de forma direcionada durante suas ações de fiscalização. “Recebi denúncias de que até mesmo o diretor-presidente do Procon tem direcionado essa fiscalização, abordando muitos comerciante com mão de ferro e, além de multa, fechando estabelecimentos de gêneros alimentícios. O que mais assusta é que eles fiscalizam e fecham apenas um, sendo que muitos no mesmo formato funcionam ao lado. Eles não pensam em quantas pessoas estão deixando desempregadas naquele momento?”, denunciou.

O parlamentar se colocou à disposição para receber denúncias de outras possíveis abordagens injustas e direcionadas que possam ter sido feitas pelo órgão no Amazonas. “São trabalhadores querendo sobreviver a tudo isso e um órgão que devia atuar de forma positiva, age de forma direcionada. Vergonhoso isso. Quem tiver casos como esses, pode deixar contato nas minhas redes sociais”, concluiu.

Anúncio