Denúncia de Dermilson Chagas contra Wilson Lima entra em pauta na CPI do Senado

Documentos referentes à crise de abastecimento de oxigênio que ocasionou a morte de dezenas de pessoas foram encaminhados pela PGR para o presidente da CPI

Manaus – A representação formulada pelos deputados Dermilson Chagas e Wilker Barreto, ambos do Podemos, responsabilizando o governador Wilson Lima pela morte de dezenas de pessoas durante a crise de desabastecimento de oxigênio em Manaus fará parte da pauta de discussões e análises na CPI da Covid-19 no Senado. Os documentos referentes à denúncia feita pelos parlamentares e que integram investigações em curso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) foram encaminhados na segunda-feira (17) pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, ao presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM).

Na manhã desta terça-feira (18), o deputado Dermilson Chagas disse, na tribuna do plenário Ruy Araújo, na Assembleia Legislativa do Estado do Estado (ALE), que as várias denúncias de irregularidades da gestão Wilson Lima desde o início da pandemia até o presente momento nunca foram recepcionadas devidamente pela Casa, mas que, agora, finalmente, o Senado está dando o exemplo e o caso será analisado sob a ótica da justiça que se deve ao povo amazonense que assistiu horrorizado as dezenas de mortes em janeiro deste ano.

Denúncia de Dermilson Chagas contra Wilson Lima entra em pauta na CPI do Senado (Foto: Márcio Gleyson)

“Não foi uma pregação no deserto. Isso é resultado de um trabalho incansável de denunciar o que vem acontecendo no nosso estado. Tudo aquilo que assistimos foi assustador e pavoroso”, disse o parlamentar, se referindo às mortes em portas de hospitais e em leitos de UTIs da rede estadual de saúde, além filas em empresas para compra de botijas de oxigênio e também de denúncias de atos macabros, dentre eles possíveis casos de eutanásia que teriam sido cometidos por médicos em hospitais estaduais.

Mais denúncias

Dermilson Chagas destacou que, além das suas denúncias, há, ainda, outras irregularidades que o governador Wilson Lima irá responder na CPI do Senado, porque também foram encaminhados ontem pela PGR dois inquéritos, sendo um sobre a aquisição de respiradores em uma loja de vinho pelo Governo do Amazonas e outro sobre o aluguel de espaço e contratos para instalação do hospital de campanha Nilton Lins.

“Espero que a CPI no Congresso Nacional aponte os culpados e diga que o governador Wilson Lima, além de chefe de quadrilha, foi um grande assassino do nosso povo do estado, não tendo planejamento, não fazendo o dever de casa, não tendo a responsabilidade com o povo, se preocupando apenas com o seu grupo econômico, que está dilapidando o patrimônio do povo do Amazonas”, ressaltou o parlamentar.

ALE inerte

O deputado Dermilson Chagas criticou novamente a postura da ALE por ignorar as dezenas de irregularidades cometidas pelo Governo do Amazonas e da Casa não ter dado início ao processo de análise dos 15 pedidos de impeachment do governador Wilson Lima.

“Denúncias de irregularidades de contratos com empresas da área de saúde e de aluguel de jato executivo, 15 pedidos de impeachment, CPI da Saúde na Aleam, CPI da Covid-19 no Senado, morte de mais de 12 mil amazonenses por infecção do novo coronavírus, crise de oxigênio que resultou na morte de 31 pessoas, falta de estruturação da rede hospitalar estadual durante a pandemia, estudantes dos 62 municípios sem acesso às teleaulas, compra de vacina reprovada pela Anvisa e denúncia da PGR ao STJ sobre atos de corrupção praticados pelo governador Wilson Lima e mais 17 pessoas ligadas a ele. Nada disso sensibiliza a Assembleia a dar início ao processo de impeachment”, afirmou o deputado.

O deputado lembrou também que, no dia 5 deste mês, completou um ano que a ALE não se manifesta em relação ao Projeto de Emenda à Constituição Estadual (PEC) encaminhado à Casa pelo Comitê do Amazonas de Combate à Corrupção e ao Caixa Dois Eleitoral. O projeto propõe que seja acrescentado na Constituição Estadual que autoridades e seus parentes, por consanguinidade ou por matrimônio, sejam impedidos de celebrar contratos com a Administração Pública.

“A quem interessa o Wilson Lima no cargo? Quanto é que custa hoje o Wilson Lima hoje no cargo de governador do Amazonas? A quem interessa que ele se mantenha no cargo? Isso é o que o povo do Amazonas tem de questionar todos os dias e tem de ver o que esse governo vem fazendo com o estado e com o erário. A irresponsabilidade dessa gestão e a forma de governar com a sua quadrilha está levando o Amazonas ao pior patamar. As manchas que o estado adquiriu nesta gestão é algo histórico, nunca visto no Amazonas, mas, infelizmente, aqui, muitos batem palmas”, desabafou o parlamentar.

Anúncio