Depois de papel higiênico, governo compra mil monitores para 506 servidores do Idam

O deputado Dermilson Chagas afirmou que foram entregues somente 20 monitores

Manaus – O deputado Dermilson Chagas (Republicanos) denunciou, nesta terça-feira (27), na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE), que o Governo do Amazonas comprou mil monitores de computadores, com tamanhos de 21 a 21.9 polegadas, para os funcionários do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas (Idam), sendo que o órgão possui somente 506 servidores em todo o Estado.

(Foto: Divulgação)

Confira dos documentos: ata de compra e execução de despesa.

“Foram comprados mil monitores para o Idam, e lá só tem 506 funcionários, mas só entregaram 20 monitores, sendo que tudo já foi pago”, frisou o deputado Dermilson Chagas, que questionou a justificativa descrita na nota de empenho de que o objetivo da compra é para atender as necessidades do órgão, que pagou R$ 885.980,00 (oitocentos e oitenta e cinco mil e novecentos e oitenta reais) para a empresa P.E.G. Comércio e Serviços de Informática Ltda-ME.

O parlamentar lembrou da denúncia feita por ele,  nessa segunda-feira (26), da compra de R$ 1.383.102,50 (um milhão, trezentos e oitenta e três mil, cento e dois reais e cinquenta centavos) em papel higiênico para o órgão. Ao todo foram, 42.557 fardos comprados. Cada fardo possui 64 rolos de papel higiênico.

Esse número multiplicado pelo total de fardos revela que, ao todo, foram adquiridos 2.723.648 (dois milhões, setecentos e vinte e três mil e seiscentos e quarenta e oito) rolos de papel higiênico, quantidade superior à população de Manaus, que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 2.255.903 (dois milhões, duzentos e cinquenta e cinco mil, novecentos e três pessoas).

“Nós estamos vendo a destruição do Idam, um órgão que possui funcionários decentes e responsáveis. Por isso, estou encaminhando a denúncia para o Ministério Público e para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), para que seja feita uma investigação. Isso fere a dignidade, a moral e o respeito do órgão. Tanta gente não consegue marcar uma consulta e fazer uma cirurgia. Tanta gente precisando de exames e o governador manda comprar mais de 2,7 milhões de rolos de papel higiênico, quantidade superior à população de Manaus”, enfatizou Dermilson Chagas.

Anúncio