Deputado cobra serviço de telefonia

Parlamentar criticou a qualidade dos serviços e a precariedade do fornecimento no interior do estado

Manaus – A precariedade da telefonia móvel no Amazonas foi pauta no Mini Plenário Cônego Azevedo da Assembleia Legislativa do Estado (ALE). Em reunião técnica com representantes das operadoras de serviço no Estado, o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) propôs uma maior fiscalização nos cronogramas de investimento das empresas prestadoras no Estado. O encontro foi uma solicitação do parlamentar em conjunto com a Comissão de Defesa do Consumidor da Casa Legislativa (CDC-ALE), presidida pelo deputado João Luiz (Republicanos).

(Foto: Divulgação / Assessoria)

No encontro, que contou com a presença de órgãos de defesa do consumidor e Defensorias Públicas do Estado, além da gerência regional da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e alguns prefeitos, o parlamentar sugeriu um cronograma de reuniões, mediante as apresentações de investimentos das empresas, para que se tenha um acompanhamento mais efetivo das promessas e realizações dos serviços da Vivo, Claro e Tim, responsáveis pela cobertura de telefonia em todo o Amazonas.

Na ocasião, as operadoras apresentaram à CDC-ALE suas ações no Amazonas, estado considerado com a pior cobertura de telefonia móvel no Brasil após relatório divulgado pela Anatel no dia 3 de maio. Os representantes dos municípios na reunião, como a secretária municipal de Educação de Barcelos, Rosana Cruz, também apontaram suas dificuldades.

“Eu até costumo brincar que o serviço de telefone hoje vai ‘sextar’, porque já aconteceu de ficarmos o final de semana incomunicáveis. Hoje sabemos que a internet é uma ferramenta pedagógica em videoconferências, lives e informações, a gente perde muita coisa em função da internet. O município paga caro a internet e não atende a contento”, explicou Rosana.

“Eu considero a telefonia tão essencial quanto a água e a luz, por isso, devemos ter reuniões pautadas no cronograma de investimentos das empresas. A empresa fala que investiu, mas nós precisamos verificar na ponta se o que está sendo feito reflete nos serviços, pois sabemos que não voltam em sua plenitude”, afirmou o deputado.

Barreto voltou a criticar a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de telefonia e que a precariedade do fornecimento afeta o desenvolvimento social e econômico das cidades no interior.

“O que acontece hoje no Amazonas é um desserviço, e me permita a franqueza com a Anatel, com a conivência dos órgãos de controle. É um grande atentado ao direito do consumidor quando você vai no interior, praticamente sofre um apagão de telefonia, prejudicando não só a comunicação como a economia dos municípios”, frisou Wilker.

Anúncio