Deputado debate crimes na fronteira

O deputado federal Delegado Pablo (PSL) esteve em Tabatinga para reunir com representes das Forças Armadas sobre combate a crimes em regiões de fronteira no Amazonas

Manaus – O combate ao tráfico de drogas e de armas na fronteira entre Brasil e Colômbia foi um dos assuntos discutidos neste fim de semana, em Tabatinga (a 1.106 km de Manaus), na reunião entre o deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo, representantes do Exército, Marinha e Aeronáutica do governo colombiano e o consulado da Colômbia.

A fronteira entre Brasil e Colômbia possui mais de 1,6 mil quilômetros e se estende por terra e água. De acordo com o ministério da Segurança Pública do Brasil, o local é uma das rotas para entrada de drogas e armas no Brasil, por isso a vigilância na área não pode ter falhas.

A fronteira entre Brasil e Colômbia é uma das rotas para entrada de drogas e armas no Brasil, por isso a vigilância na área não pode ter falhas (Foto: Divulgação/Assessoria)

A reunião foi solicitada pelo deputado Pablo, que busca informações sobre a situação na fronteira. O objetivo é reunir dados para criação de projetos de lei visando o combate ao tráfico de drogas e a entrada de armas no Brasil.

Representantes das Forças Armadas da Colômbia mostraram as dificuldades em fazer o patrulhamento na região da fronteira com o Brasil. Com auxílio de mapas e imagens de satélite, o grupo discutiu formas para combater as facções criminosas que atuam na região.

O delegado Pablo explica que Tabatinga é visada por facções criminosas que comandam o tráfico de drogas no Sudeste do País. “Tabatinga é uma das rotas que abastecem o tráfico. Temos que aumentar a segurança na fronteira”, afirmou. “Dessa forma, diminuímos a quantidade de drogas que entram no Brasil e destroem a vida de milhares de pessoas, inclusive crianças e adolescentes”.

Ainda em Tabatinga, o Delegado Pablo participou da instrução dos novos policiais federais que passam a integrar a base do órgão em Tabatinga. No local funciona o Posto de Controle de Fronteira, onde circulam pessoas, cargas e veículos que entram e saem do Brasil.

Tecnologia

Em outubro, o General César Augusto Nardi de Souza, chefe do Comando Militar da Amazônia (CMA), falou sobre modernização da tropa com tecnologia.

“O que estamos fazendo agora é trazendo o Sistema de Proteção de Fronteiras (Sisfron) para começar a atingir a Amazônia. Na próxima fase será encaminhado, não só o aumento efetivo, mas o aumento de tecnologia, serviço de inteligência e modernidade de nossas tropas”, disse.

Segundo o comandante, o CMA vai investir em tecnologia para modernizar a tropa e, no momento, não há previsão para o aumento de contingente militar.

Anúncio