Deputado defende simplificar impostos

Em entrevista a RÁDIO DIÁRIO, o deputado federal pelo Amazonas Pablo Oliva (PSL) afirmou que o sistema tributário deve ser simplificado sem afetar os incentivos da Zona Franca

Manaus – O deputado federal pelo Amazonas Delegado Pablo Oliva (PLS) defendeu, nesta sexta-feira (20), a simplificação do sistema tributário brasileiro, desde que seja mantida os incentivos fiscais Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Muitas coisas devem ser colocadas em pauta em relação à reforma tributária. A primeira é que vivemos hoje um manicômio tributário, são tantos impostos e taxas que chegou a ponto que não sabemos mais exatamente o que estamos pagando. Neste ponto, eu acredito que a reforma tem que vir para simplificar a carga tributária. Nós, brasileiros, pagamos impostos demais e esta reforma tem que vir para reduzir a quantidade de impostos (…) Mas isto não pode acontecer ao preço de acabar com a Zona Franca de Manaus, que é o maior programa de sustentabilidade do mundo”, disse.

O deputado destacou a importância de se manter a Zona Franca de Manaus para manutenção da Floresta Amazônica (Foto: Igor Menezes/Divulgação)

As declarações foram feitas durante entrevista no Programa ‘Resumo Rádio’, na tarde desta sexta, na RÁDIO DIÁRIO, emissora que faz parte do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC).

Em seguida, o parlamentar frisou que a Amazônia se tornou assunto mundial e alertou a importância da Zona Franca no manutenção da Floresta Amazônica.

“A Amazônia entrou na pauta mundial, recentemente, todo mundo fala da Amazônia que ela é importante, e aqui temos um programa que não é um teste, não é uma aventura, é uma programa que já existe e se mostrou, por décadas, como importante para manutenção do nosso Estado como área preservada com 95% de área preservada por conta da Zona Franca de Manaus, principal motor de geração de renda e faz com que tenhamos a floresta em pé”, disse.

O parlamentar lembrou que apresentou projeto que propôs a expansão da ZFM a Região Metropolitana de Manaus. No último dia 12, a Comissão de Integração Nacional e Desenvolvimento da Amazônia (Cindra) da Câmara Federal aprovou o projeto apresentado pelo parlamentar. Com a proposta, os municípios de Iranduba, Novo Airão, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Presidente Figueiredo, Manacapuru, Careiro Castanho, Silves, Autazes, Itapiranga e Manaquiri serão incorporados à área da Zona Franca.

“A lógica da proposta é o fato de termo, aproximadamente, 600 empresas de porte médio ou grande aqui na Polo Industrial. Se você imagina que 600 empresas empregam direta e indiretamente quase 500 mil pessoas aí você imagina se uma empresa destas resolve abrir uma sede no município de Novo Airão, por exemplo, com capacidade para empregar duas mil pessoas. Seria uma revolução na cidade. Há inúmeras cidade do interior de Minas Gerais ou de São Paulo que cresceram em torno de indústrias, cidades que floresceram em torno de indústria”, afirmou.

Anúncio
Anúncio