Deputado pede que comandante-geral apresente estudo das Cicoms

Parlamentar destaca que ações de governo são realizadas a partir de indicadores socioeconômicos e não em atitudes baseadas na intuição

Manaus – O deputado Dermilson Chagas (sem partido) solicitou, neste domingo (23), que o comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), coronel Vinicius Almeida, apresente à sociedade o “estudo” de reformulação da estrutura da PM que ele anunciou no sábado (22), após o deputado revelar que recebeu diversas mensagens de oficiais e praças informando que as Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms) estão sendo desativadas sistematicamente por Vinicius Almeida.

(Foto: Divulgação)

No seu anúncio de sábado (22), o comandante-geral da PM disse que o que está acontecendo é um “estudo”. O deputado Dermilson Chagas argumentou que, em gestão pública, todas as ações são norteadas a partir de indicadores sociais, econômicos, geográficos e políticos, e que nenhuma atividade ou projeto é realizado sem pesquisa e sem obedecer a legislação, portanto, o comandante-geral não pode tomar decisões tendo como base apenas intuição e fazer ilações para conduzir um aparato importante da Segurança Pública como a corporação da PM.

“O comandante-geral da PM tenta escamotear a verdade quando não fala da Segurança Pública, do sucateamento da estrutura da PM e se baseia no fato que está ainda em ‘estudo’ para ele, algo que é da concepção dele e não planejada. Quem é que fez esse estudo? Quem é o doutor em Segurança Pública para poder dizer que a tal mudança proposta trará resultado positivo e que, efetivamente, vai trazer benefícios para a população, que está apavorada de sair de casa com medo de ser assaltada ou morta por bala perdida?”, questionou o deputado Dermilson Chagas.

Embora o comandante-geral negue que as Cicoms estejam sendo esvaziadas e estejam prestes a acabar, o deputado Dermilson Chagas afirma que a própria população já percebeu que essa estrutura da PM já não está operando, pois não há viaturas e nem efetivo da PM nas ruas, fazendo o serviço que, de praxe, é da Cicom, ou seja, o monitoramento ostensivo e as rondas diárias.

“Eu nunca vejo viaturas nas ruas fazendo patrulhamento. Nas raras vezes que tem viatura na rua, ela está estacionada em algum comércio, como restaurante chique ou loja, dando a impressão de que está fazendo é segurança privada, mas nas ruas, de fato, não tem nenhuma”, disse o analista de RH, José Rodrigues, 37, morador do Nova Esperança, zona centro-oeste de Manaus.

“Eu já fui assaltada a caminho do meu trabalho. Roubaram minha bolsa com todos os meus documentos e celular. E fiquei assustada com medo de ir trabalhar. Fui assaltada numa rua movimentada, as pessoas viram e não fizeram nada e não tinha uma viatura por perto. Eu nunca vejo viatura nas ruas, nunca. Lá onde eu moro, só vai viatura quando morre alguém”, disse a auxiliar de serviços gerais L.B., de 50 anos, que mora no bairro Compensa 3, na zona oeste.

Esvaziamento das Cicoms

Os policiais militares que entraram em contato com o deputado Dermilson Chagas para denunciar a situalção de abandono total das Cicoms explicaram que o Governo do Amazonas está se valendo da seguinte estratégia para esvaziar as unidades policiais: todo o efetivo das Cicoms está sendo retirado e sendo enviado para os Comandos de Policiamento de Área (CPAs). Nas Cicoms, só estão tirando serviço um comandante e mais dois policiais militares.

O deputado destacou que, dessa forma, as Cicoms não passam de um Ponto de Parada Obrigatória, chamado de PPO, que só serve para os homens que estão de serviço pararem para almoçar ou jantar ou para ir ao banheiro. O parlamentar enfatizou que esses PPOs são prédios públicos que serviam para atender aos bairros mais próximos das Cicoms.

“Em suma, o que o comandante-geral da PM está fazendo é um arranjo interno a partir de preferências pessoais dele para beneficiar o seu grupo de amigos dentro da corporação e, com isso, destacando os demais policiais militares para postos de trabalho onde eles não dêem trabalho para a sua gestão. Eu recebi diversas reclamações de PMs que trabalham seriamente e que discordam dessa reestruturação que está sendo feita na base do ‘achismo’ do comandante-geral”, criticou o deputado Dermilson Chagas.

Anúncio