Deputados solicitarão ao Governo do AM flexibilidade de trabalho aos motoristas de APP

A proposta é de que a categoria circule das 3h às 00h

Manaus – Um requerimento será encaminhado por deputados ao Governo do Estado com pedido de flexibilização de horário de trabalho para motoristas de aplicativos. A proposta é de que a categoria circule das 3h às 00h. A decisão foi tomada durante reunião, na manhã desta sexta-feira (12), com representantes de motoristas. Estiveram presentes: os deputados estaduais Delegado Péricles, Dermilson Chagas, Wilker Barreto, Sinésio Campos e Josué Neto.

(Foto: Divulgação)

Os motoristas estiveram na Aleam para expor as problemáticas enfrentadas pela categoria neste período de restrições na capital amazonense e discutir soluções para reduzir os prejuízos.

“Os motoristas de uber têm sido diretamente atingidos por esse período de restrições na capital. O preço da gasolina tem demandado significativa parte dos lucros obtidos durante as corridas, exigindo que eles circulem por ainda mais tempo”, explicou o deputado Delegado Péricles.

De acordo com o parlamentar, tendo como pauta a conversa com a categoria, será encaminhado um requerimento ao Governo do Estado com pedido de flexibilização de horário para o trabalho desses profissionais.

“Eles querem garantir, não só a sobrevivência das famílias deles, mas o transporte desses trabalhadores que precisam se deslocar após o expediente e não têm carro, ou feirantes que precisam chegar até às feiras pra chegar às 4h, assim como pessoas que tenham que se deslocar até os hospitais neste intervalo e não têm como chegar até lá se não tiverem carro. Isso que queremos, por meio desse requerimento, intervir”, continuou.

O motorista de uber, Thiago Rodrigues, reforçou a importância da atuação do parlamento para a resolução dos problemas enfrentados por eles. “Precisamos trabalhar. A situação de todos nós é difícil. Precisamos estender esse horário de trabalho e, ainda, pedimos aqui também que postos de gasolina possam funcionar até às 22h para nos dar amparo. Ainda bem que nos escutaram e vão mediar essa solicitação junto ao governo”, concluiu.