DNIT revela que pontes na BR-319 serão reconstruídas em até um ano

O superintendente afirmou que a reconstrução da ponte do Rio Curuçá será iniciada após a retirada total dos escombros

Manaus – O superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Amazonas (DNIT/AM), Luciano Moreira de Sousa Filho, informou que as pontes que desabaram nos km 23 e 12 da BR-319 serão reconstruídas em até um ano. A informação foi dada na última quinta-feira (1º) na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), de autoria do deputado Sinésio Campos (PT), após o deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania) questionar e cobrar soluções acerca do tema.

(Foto: Divulgação)

Wilker questionou o dirigente da autarquia federal quanto aos prazos para a reconstrução das pontes sobre o Rio Curuçá (KM-12) e Rio Autaz Mirim (KM-25). A primeira desabou no dia 28 de setembro, deixando quatro mortos, 14 feridos e um desaparecido, enquanto que a segunda estrutura caiu em 8 de outubro, mas não houve feridos.

Em resposta, o superintendente afirmou que a reconstrução da ponte do Rio Curuçá será iniciada após a retirada total dos escombros e que a medida já está sendo executada no período da vazante.

“Estamos iniciando na próxima semana, correndo para não perdermos a vazante, para retirar os escombros, o contrato já está sendo celebrado com empresa que trabalha com demolição, para poder iniciar a reconstrução. E aí queremos colocar essas pontes construídas em um ano”, afirmou Luciano.

Já sobre a ponte Autaz Mirim, Luciano explicou que a passagem seca de 30 metros de extensão, feita provisoriamente para garantir o fluxo de veículos e pedestres na região, está sendo analisada diariamente pelo DNIT e que soluções estão sendo discutidas à medida da subida do rio.

“Sobre a solução provisória do Autaz Mirim, de passagem seca, estamos cientes de que ela não vai ter finalidade à medida que o nível da água for subindo. Pode ser uma balsa, pode ser uma ponte provisória, estamos analisando uma solução nesse momento”, afirmou o superintendente.

Por fim, Wilker espera que o cronograma de ações anunciado pelo superintendente seja cumprido rigorosamente para garantir o retorno da trafegabilidade na rodovia federal.

Anúncio