‘É a primeira vez que vejo alguém contratar médicos para salvar vidas e ser acusado de peculato’, diz prefeito

David Almeida questionou o pedido de prisão feito pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) e justificou a contratação emergencial de médicos

Manaus – “É a primeira vez que eu vejo alguém contratar médicos para salvar vidas, e ser acusado de peculato”, disse o prefeito de Manaus, David Almeida, durante entrevista ao jornal DIÁRIO DA MANHÃ, DA RÁDIO DIÁRIO 95.7, na manhã desta quinta-feira (28). Durante a conversa, o chefe do executivo municipal questionou o pedido de prisão feito pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) e justificou a contratação emergencial de médicos.

Questionado pelo jornalista Patrick Motta, o prefeito disse que recebeu a notícia sobre o pedido de prisão com muita surpresa e ficou perplexo. Na tarde de terça-feira (27), o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-AM solicitou o afastamento e prisão do prefeito e da secretária de Saúde, Shadia Fraxe, além de outros servidores.

Segundo David, fazer um processo seletivo levaria de um à dois meses. “Fomos atrás de médicos e conseguimos 10, fiz a contratação no nosso gabinete e já colocamos a disposição da secretaria esses jovens guerreiros, que eu chamo de heróis. Salvar vidas, segundo entendimento do Ministério Público é critério para denúncia, afastamento e prisão, eu não entendo essa visão do Ministério Público. Na verdade, os promotores não agiram da forma adequada no meu entendimento”, relatou.

Confira a entrevista completa:

Anúncio