Eduardo Braga pede indiciamento de Wilson Lima no relatório da CPI; veja vídeo

De acordo com o senador, “não há nenhuma dúvida de que houve uma série de crimes e de criminosos que precisam ser punidos”

Manaus – Nenhuma autoridade do Amazonas foi indiciada no relatório final da CPI da Covid do Senado, apresentado nesta quarta-feira (20). O relator Renan Calheiros (MDB) registrou no sistema do Senado o documento que pede o indiciamento de 68 nomes, de pessoas e empresas. O relator leu um resumo do documento, que possui 1.180 páginas ao todo. Entre os indiciados está o presidente Jair Bolsonaro, enquanto que o governador Wilson Lima ficou fora da lista.

Mesmo que o Amazonas tenha sido o epicentro da pandemia e os escândalos da gestão do governo do estado frente à crise sanitária terem sido temas abordados diversas vezes durante a CPI, as autoridades amazonenses ficaram de fora do relatório final. O senador Eduardo Braga (MDB-AM) expressou indignação e exigiu a inclusão entre os indiciados do governador Wilson Lima e outros responsáveis pela crise sanitária.

(Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

“Nosso estado foi transformado em um verdadeiro campo de teste, com experimentos com remédios ineficazes, falta de oxigênio, de leitos de internação e até de covas para enterrar os nossos conterrâneos. Nenhum estado sofreu tanto quanto o Amazonas… não há nenhuma dúvida de que houve uma série de crimes e de criminosos que precisam ser punidos”, protestou.

O senador ressaltou que é inaceitável que o relatório final não peça a punição de nenhuma autoridade do Amazonas. Em entrevista à imprensa ao final da sessão, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) também desaprovou o que categorizou como uma ‘investigação manca’.

“O pessoal da empresa da loja de vinhos, alguém que vendeu respiradores foi convocado na CPI? O governador foi convocado e não veio. Veio aqui um ex-secretário de saúde e ninguém mais. Não quiseram investigar pra valer o que aconteceu no âmbito dos estados e municípios”, afirmou.

Em 20 de setembro, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu, por unanimidade, a denúncia contra Wilson Lima por supostos crimes praticados na compra superfaturada de ventiladores pulmonares. O Ministério Público Federal (MPF) imputa ao governador do Amazonas os delitos de dispensa irregular de licitação, fraude a procedimento licitatório, peculato, liderança em organização criminosa e embaraço às investigações.

Veja vídeo:

Anúncio