Eduardo Leite renuncia ao governo do Rio Grande do Sul

Além do anúncio da renúncia, Eduardo Leite disse que a data marca o “dia do fico”, confirmando que não irá se filiar ao PSD

Rio Grande do Sul – “Vou renunciar ao poder para não renunciar à política”. Assim o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), anunciou, nesta segunda-feira (28), que deixará a gestão gaúcha para se dedicar às eleições de 2022. Em um vídeo divulgado durante entrevista coletiva no Palácio Piratini, sede do Poder Executivo do RS, Leite confirmou que ficará no PSDB, mas não cravou para qual candidatura pretende concorrer.

Eduardo Leite renuncia ao governo do Rio Grande do Sul (Foto Divulgação / Gustavo Mansur/ Palácio Piratini)

Afirmando que a lei eleitoral obriga a abdicação do cargo para concorrer, Leite afirmou que a decisão foi fruto de muita conversa com diferentes lideranças políticas, além de setores da sociedade. O ainda governador disse estar convicto da medida que traz “disponibilidade e liberdade” para realizar as movimentações eleitorais “em qualquer direção necessária, no Brasil ou no Rio Grande do Sul.”

Além do anúncio da renúncia, Leite disse que a data marca o “dia do fico”, confirmando que não irá se filiar ao PSD, mesmo o partido dando carta branca para que ele concorresse à Presidência da Repúbica pela legenda. “O PSDB é importante na minha vida e na vida do meu país. Nós temos identificação na forma de enxergar a política e o Brasil, ainda que com diferenças normais, como em qualquer relação saudável.”

Leite afirmou que a carta em que lideranças tucanas pedem ele permanecer no partido o sensibilizou. A decisão ainda foi influenciada pelos pais do governador, “dois tucanos de longa data”, como definiu o próprio político.

Anúncio