Eleições 2022: Mayra Pinheiro anuncia candidatura a deputada federal pelo CE

A médica Mayra ficou conhecida como “Capitã Cloroquina”, por ser uma das principais defensoras do chamado “tratamento precoce” de Covid-19

São Paulo – Depois de ser exonerada do Ministério da Saúde e ganhar uma função na pasta do Trabalho e Previdência, a médica Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”, afirmou nesta segunda-feira (14) que irá se desincompatibilizar do cargo “no momento oportuno, seguindo a legislação e o calendário eleitoral”, para se candidatar a uma vaga na Câmara dos Deputados pelo Ceará.

Em nota publicada nas redes socais, Mayra, que tem a simpatia do Planalto, afirmou que, para a disputa, contará com o “honroso apoio do presidente Jair Messias Bolsonaro e o respaldo dos cearenses”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Sec/MS – Dra Mayra Pinheiro (@dra.mayra.oficial)


“Informo a todos que acompanham a minha trajetória que, após longo período de reflexão e avaliação em conjunto com a minha família e com importantes lideranças que me motivam, que solicitei meu afastamento do Ministério da Saúde e me apresento como pré-candidata pelo Estado do Ceará à Câmara Federal nas eleições deste ano, com o honroso apoio do Presidente Jair Messias Bolsonaro e o respaldo dos cearenses”, diz a nota.

Exoneração

A exoneração da médica da secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, e sua designação para assumir a subsecretaria do Trabalho e Previdência está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (14). Ela estava no Ministério da Saúde desde o início do governo de Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019

Mayra ficou conhecida como “Capitã Cloroquina”, por ser uma das principais defensoras na pasta do chamado “tratamento precoce” de Covid-19, composto por medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença, dentre eles a hidroxicloroquina. Pela atuação controversa, ela foi convocada a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid no Senado no ano passado e listada dentre aqueles que foram alvo de pedido de indiciamento pelo colegiado.

No começo deste mês, a médica se filiou ao PL, partido do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, ela também foi às redes sociais onde publicou uma foto ao lado de Valdemar Costa Neto, presidente da sigla, com a legenda: “Começando uma nova história a serviço do Brasil”.

Anúncio