Em depoimento, Bolsonaro diz que não importunou baleia

Oitiva é parte de investigação sobre possível crime de ‘importunação intencional’ em São Sebastião, no litoral de SP

São Paulo- Em depoimento à Polícia Federal, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) informou que andava de moto aquática quando uma baleia surgiu, que não sabia que era crime chegar perto e que não teve intenção de incomodar ou interferir na rota do animal. A oitiva é parte de uma investigação sobre um possível crime de “importunação intencional” a uma baleia-jubarte em São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo.

(Foto: Alan Santos/ PR)

“Ele disse que estava andando de moto aquática quando uma baleia surgiu, que colocou em ponto morto e a baleia foi embora. Ele filmou. E ao fim ele disse que não sabia que era crime e que não teve intuito de importunar e causar desconforto e interferir a rota da baleia. Disse que não tinha culpa de a baleia aparecer lá e não perseguiu o animal”, informou a defesa do ex-presidente.

O depoimento havia sido marcado para o dia 7 deste mês, mas foi adiado. O caso ocorreu em junho de 2023, e o inquérito foi aberto com base em vídeos que mostram um homem pilotando uma moto aquática e ficando a 15 metros de distância da baleia com o motor ligado. A PF investiga possíveis crimes previstos em lei que proíbem a pesca ou o “molestamento intencional” de baleias.

Em novembro do ano passado, o Ministério Público Federal passou a acompanhar o inquérito, suspeitando que Bolsonaro seria o condutor do veículo aquático que se aproximou do mamífero. O ingresso do órgão na investigação foi solicitado pelo Ibama, que também investiga o caso, como um desdobramento de uma apuração preliminar do MPF sobre o episódio.

Anúncio