Em disputa acirrada, PT racha e Sinésio ganha mais quatro anos

Durante o 7º Congresso Nacional do PT, cinco candidatos se inscreveram na disputa para presidente estadual, mas ao final ficaram apenas Sinésio Campos, Waldemir José e João Freire

Manaus – O Partido dos Trabalhadores (PT) realizou neste final de semana o seu 7º Congresso Nacional – Etapa Estadual Amazonas, na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), para a escolha da nova direção executiva estadual do PT, com a participação de cerca de 300 delegados de Manaus e dos municípios do Amazonas.

O 7º Congresso Nacional do PT foi realizado neste final de semana, com a participação de cerca de 300 delegados de Manaus e dos municípios do Amazonas (Foto: Divulgação)

Na esfera municipal, houve uma unidade partidária, onde metade do mandato (dois anos) será assumido pelo grupo do Waldemir Santana, do Coletivo RU, e a outra metade pelo grupo do deputado federal José Ricardo (PT), do Coletivo da Resistência Socialista.

A disputa para presidente estadual foi acirrada, com a inscrição de cinco candidatos, mas ao final ficaram apenas os nomes do deputado estadual Sinésio Campos, do Coletivo Movimento; do ex-vereador Waldemir José, da Resistência Socialista; e do militante João Freire, do Coletivo Mensagem ao Partido.

Um acordo em nível nacional uniu Waldemir Santana ao grupo de Sinésio, resultando na reeleição de Sinésio por mais quatro anos (190 votos, contra 70 de Waldemir José e 24 de João Freire).

O Partido dos Trabalhadores também aprovou moções de repúdio ao governo federal pelo corte de verbas na educação, saúde, moradia, pelo fim dos Conselhos de Controle e Fiscalização, pelas privatizações em massa nas estruturas públicas e a favor da causa indígena, em proteção ao meio ambiente.

Na questão da escolha de candidatos a prefeito, definiu-se que o assunto será decidido na instância municipal, onde a maioria apoia o nome do deputado José Ricardo, em encontro que deve acontecer até o final deste ano.

Após a votação, o grupo ligado a Sinésio Campos e Waldemir Santana se retirou do Congresso e não houve eleição para o Diretório Estadual, somente para a presidência, evitando a eleição democrática na Executiva do Partido. Quatro chapas presentes irão recorrer à direção nacional para invalidar o 7º Congresso no Amazonas.

Anúncio