Em vídeo, Amazonino diz que o narcotráfico ‘bate no peito e manda no Estado’

No texto, publicado em suas redes sociais, ex-governador fala sobre a ousadia dos criminosos

Manaus – O ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes, divulgou vídeo em suas redes sociais afirmando que o narcotráfico no Amazonas, atualmente, “bate no peito” e diz que manda no Estado. Amazonino faz referência aos recentes ataques ao patrimônio público e privado ocorridos em Manaus e demais cidades do Estado, após a morte de um líder do tráfico em Manaus

“O terror passou a morar nas nossas vidas. O narcotráfico vem batendo no peito e dizendo: ‘quem manda aqui sou eu, não é o governador’. Que vergonha, que torpeza. O Estado (está_ desmoralizado. A que ponto chegamos?! Quem imaginaria que poderíamos sofrer este vexame? Narcotráfico existe em todo o País, mas por que fizeram isto em Manaus? É preciso levantar isto. Desconfio honestamente que há muita coisa pobre por aí”.

Ainda o vídeo, o ex-governador taxou a gestão de equívoco. “Tudo passa. Este equívoco que tomou conta do governo do Amazonas haverá de sumir. A chama da esperança não está morta”, disse Amazonino.

Na postagem, o ex-governador afirma: “Não bastasse as milhares de mortes que poderiam ser evitadas durante a Covid, agora nossa população convive com pavor e medo em um Amazonas despoliciado, com ausência de viaturas e policiais nas ruas. Tudo fruto de governo que demonstra ser incapaz de cumprir suas obrigações, envolto em denúncias de corrupção”, afirmou.

No texto, Amazonino fala sobre a ousadia dos criminosos. “O ataque de facção criminosa a órgãos públicos e ônibus em Manaus mostrou a ousadia dos criminosos que criaram pânico para passar a mensagem de que eles estão no comando e, não, o governador. Este terror desmascarou a incompetência deste governo que chegou ao absurdo de recolher viaturas com medo de ser atacado. Eu nunca tinha visto tanta covardia e incompetência. Isto nunca aconteceu na História da nossa briosa, organizada e valente PM, que ficou impedida de agir por ordens superiores”, frisou.

Em outro trecho, o governador questiona: “Como é que a cúpula das polícias e o governador não sabiam que uma operação deste porte estava sendo armada? Cadê a inteligência policial que deixei montada e operando? Estaria sendo usada só para fazer fuxicos políticos em vez de acompanhar as atividades criminosas e se antecipar a ação dos bandidos? Seja o que for, jogaram fora o que deixei encaminhado na área da segurança. Isto, sim, é crime contra o patrimônio público e a vida dos amazonenses”.

O ex-governador frisou: “Hoje o governador pede envio da Força Nacional ao Amazonas. O que ele precisa é governar, cumprir sua obrigação de Chefe de Estado. É para isto que pediu para ser eleito, não para enrolar e repassar obrigações que são broncas dele. É preciso, sim, investigar o desmoronamento da inteligência policial e as denúncias graves de envolvimento do governo e do comando policial com a facção criminosa. Tem cheiro de conluio entre o crime e o governo. E isto é imperdoável! Governo e crime nunca podem estar misturados. Ou o governo, por incompetência, ficou de joelhos na frente do crime organizado ou está de mãos dadas com ele”.

Assista:

Anúncio