Emissão de certidão que reconhece a ocupação de terra na Amazônia Legal é regulamentada

Atualmente, o Decreto 10.592/20 prevê que o Incra poderá emitir essa certidão

Manaus – O Projeto de Lei 2550/21 regulamenta a emissão, pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Certidão de Reconhecimento de Ocupação. O texto em análise na Câmara dos Deputados insere dispositivos na Lei 11.952/09, que trata da regularização fundiária na Amazônia Legal.

Jaqueline Cassol: documento é essencial para atividade sustentável e eficiente da terra. (Antônio Augusto/Câmara dos Deputados)

“O objetivo é trazer para a legislação ordinária a regulamentação da Certidão de Reconhecimento de Ocupação, hoje prevista apenas em norma infralegal”, explicou a autora da proposta, deputada Jaqueline Cassol (PP-RO).

Atualmente, o Decreto 10.592/20 prevê que o Incra poderá emitir essa certidão quando, cumulativamente, houver requerimento para regularização fundiária; e o imóvel estiver georreferenciado, situado em terra pública federal e inexistir sobreposição com outras áreas. A autarquia poderá fazer outras exigências.

“Um dos pré-requisitos para a aprovação do manejo florestal sustentável pelos órgãos ambientais é a comprovação do domínio, posse ou ocupação do imóvel pelo Incra. Assim, a Certidão de Reconhecimento de Ocupação é essencial para atividade laboral sustentável e eficiente da terra”, disse Jaqueline Cassol.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Anúncio