Empreendedores de Autazes repudiam fala de prefeito sobre projeto de potássio; VEJA

Cavalcante negou que comerciantes e trabalhadores locais têm capacidade de atender às demandas da exploração mineral

Manaus – A fala do prefeito de Autazes, Andreson Cavalcante, em reunião com investidores, sobre a falta de capacidade dos empresários da cidade conseguirem atender à demanda do comércio e serviços a ser gerada pela exploração do potássio no município (a 113 quilômetros a sudeste de Manaus) gerou revolta dos empreendedores locais, que qualificaram a declaração como ‘fake news’ nas redes sociais.

(Foto: Reprodução Instagram @prefeito_andreson)

O pronunciamento de Cavalcante teve uma repercussão negativa também entre os trabalhadores de Autazes, ao se sentirem menosprezados diante da possibilidade de contribuir com esse novo ciclo de desenvolvimento com a exploração mineral de um importante insumo para a agricultura que hoje o Brasil é dependente e importa.

No município, as redes sociais foram tomadas por registros feitos pelos próprios comerciantes, expondo que o setor local tem condições de atender à demanda a ser gerada em todas as atividades com o projeto do potássio.

Tratativas nesse sentido já estão sendo desenvolvidas. Fornecedores, empresas, cooperativas e associações prestadoras de serviços e vendedoras de produtos se reuniram com a empresa Potássio do Brasil, que vai explorar a jazida de silvinita, junto com o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Energia, Mineração e Gás (Semig).

O objetivo do encontro que deverá se repetir, é atender ao processo de instalação da fábrica de fertilizante, bem como, todos os equipamentos que serão construídos no entorno do projeto e dos serviços que serão necessários.

Veja vídeo:

Anúncio