Ex-secretária executiva da Susam narra perseguição por não aceitar ilicitudes

A ex-secretária revelou, em entrevista ao programa Amazonas Diário, que teve a assinatura falsificada em um contrato com data retroativa e denunciou o fato ao Ministério Público Federal (MPF)

Manaus – A ex-secretária executiva da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Dayana Mejia, afirmou durante entrevista concedida nesta sexta-feira (12), ao programa ‘AMAZONAS DIÁRIO’, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), transmitido pela TV RECORD NEWS MANAUS, que foi exonerada porque não concordava com atos ilícitos. A ex-secretária revelou ainda que teve a assinatura falsificada em um contrato com data retroativa e denunciou o fato ao Ministério Público Federal (MPF).

(Foto: Reprodução/RecordNews)

Dayana disse que foi exonerada do cargo dia 18 de abril, contou com detalhes durante a entrevista, sobre o documento que estava com uma assinatura falsa.

“A denúncia que eu fiz no MPF gira em torno da minha assinatura que foi falsificada em um processo de credenciamento de laboratório. Eu fui acionada pelo secretário executivo estadual sobre a assinatura, logo após o período de exoneração e o Fundo Estadual de Saúde, constatou que não era original”, disse a ex-secretária.

Segundo Dayana, ficou comprovado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde que ela não participou da compra de respiradores e, por esse motivo, não soube afirmar se houve superfaturamentos por parte do governo do estado.

Ainda de acordo com ela, houve perseguição do governo do Amazonas, quando ela discordou das suspeitas de ilicitudes, com relação aos contratos, por isso acabou sendo levantada a suspeita da participação dela em superfaturamentos da secretaria.

(Foto: Reprodução/RecordNews)

A empresa Sonoar chegou a entrar em contato com ela, mas Dayana informou que a demanda era responsabilidade do setor de compras.

Ela relatou ainda que, na Operação Apneia, deflagrada na quarta-feira (10), foram levados da residência dela relatórios e o telefone pessoal. “Tá sendo muito difícil depois da CPI, estou com sinais de ansiedade. Eu nunca participei de CPI”, afirmou a ex-secretária.

Depoimento

Na segunda-feira (8), a ex-secretária foi ouvida pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e, segundo o presidente da Comissão, deputado estadual Delegado Péricles, as informações foram muito importantes.

“Tivemos uma tarde de depoimento conciso e extremamente importante para nossa investigação. A senhora Dayana nos forneceu dados que nos ajudarão a esclarecer o que de fato houve na aquisição de respiradores neste período de pandemia. O conteúdo é de caráter exatamente sigiloso, tanto para resguardar a depoente quanto para não prejudicar o andamento dos trabalhos”, afirmou o deputado Delegado Péricles.

De acordo com Péricles, no dia do depoimento, a postura técnica adotada nos procedimentos da CPI irá garantir à população uma investigação com resultados reais.