‘Falta sedativos para exames’, diz deputado

“Já não tem equipamentos suficientes para realização de tomografias e nem para ressonâncias, e agora não há sedativos para exames nos hospitais públicos do Amazonas”, afirmou Dermilson

Manaus – “Já não tem equipamentos suficientes para realização de tomografias e nem para ressonâncias, e agora não há sedativos para exames nos hospitais públicos do Amazonas”, denunciou o deputado Dermilson Chagas (Podemos), cobrando providências do Governo do Amazonas em plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), na manhã desta terça-feira (15).

Desde o início deste mês, Dermilson cobra do Governo do Amazonas, providências para resolver o problema da falta de tomógrafos nas unidades hospitalares. Na semana passada, em sua rede social, informou que existe apenas um aparelho no Hospital Francisca Mendes para atender toda a população do Amazonas. “E agora recebo a notícia de que não há sedativos para a realização de exames. Isso é outro crime, esse governo não dá a mínima para o povo do nosso Estado. Pessoas estão morrendo pela negligência de uma pessoa que está gastando todo o dinheiro público para continuar no cargo porque o Supremo Tribunal Federal e a própria Polícia Federal estão na cola”, disse.

Parlamentar denunciou a falta sedativos para exames nos hospitais públicos do Amazonas (Foto: Elisa Garcia Maia/ALE)

Dermilson ainda ressalta que obteve acesso ao número de pessoas que estão na espera de uma cirurgia. O parlamentar afirma que houve um crescimento estarrecedor e critica o governador Wilson Lima pela falta de medidas emergenciais. “O governador sequer fez uma política pública para diminuir as filas. Não tem nada, somente reformas básicas com suspeitas de superfaturamento. É lamentável e até desumano o que este governo faz com a população do Amazonas, que quando mais precisa dos serviços básicos de saúde, o que encontra é essa calamidade e descaso”, afirmou.

CPI

Na última segunda-feira, 14, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde aprovou requerimento de autoria do deputado estadual Delegado Péricles que pede a prorrogação dos trabalhos. O documento será encaminhado à presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) a fim de que seja levado para votação em plenário. A Comissão teve início no dia 26 de maio e, caso tenha prorrogação, irá até 29 de novembro.

Para o presidente da CPI, deputado estadual Delegado Péricles (PSL),a continuidade dos trabalhos deveria ser permanente. “A CPI da Saúde tem pautado a gestão – mostrado que é possível e urgente gerir o dinheiro público com responsabilidade – e tem revelado atos ilícitos que, se não fosse a sua existência e eficácia, seguiriam escondidos perpetuando a corrupção na saúde do nosso Estado. Eu defendo não só a continuidade da CPI da Saúde, mas também a ideia de que a CPI deveria ser permanente. É nosso papel fiscalizar. Seja na saúde, na segurança pública, na educação”, afirmou.

Anúncio