Governadora em exercício do DF diz que abertura da CPI dos atos radicais cabe ao Legislativo

Ainda não foi possível decidir quem irá presidir e relatar a investigação

Brasília – A governadora em exercício do Distrito Federal, Celina Leão (PP), afirmou nesta segunda-feira (6) que as decisões para a configuração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vão investigar os atos extremistas em Brasília são de responsabilidade do legislativo. A Câmara Legislativa do DF está organizando a comissão.

(Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil)

“Nós somos poderes independentes, a decisão será dos deputados e cabe aos que participam da CPI”, afirmou Celina.

Na última sexta-feira (3), Celina almoçou com deputados distritais da base aliada e da oposição na Residência Oficial de Águas Claras. O objetivo foi selar a união com a Casa e integrar os dois poderes. Já foram feitas duas reuniões, mas ainda não foi possível decidir quem irá presidir e relatar a investigação.

À Record TV, o presidente da Câmara Legislativa, deputado Wellington Luiz (MDB), afirmou que se não houver consenso entre deputados da base governista e da oposição para os cargos da CPI, vai determinar a instalação da comissão até o final da semana.

Anúncio