Irmão diz que Adail obrigou repasse de apartamentos para nome de ex-secretário de Melo

PF afirma que o envolvimento de Raul Zaidan “com práticas de corrupção e desvio de dinheiro público não é recente”

Manaus – Carlos Eduardo do Amaral Pinheiro, irmão de Adail Pinheiro, ex-prefeito de Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus), disse à Polícia Federal (PF) que Adail o obrigou a repassar apartamentos para o nome de Raul Zaidan, ex-secretário da Casa Civil preso na operação ‘Custo Político’, que apura desvios de recursos públicos da Saúde do Amazonas.

No inquérito que investiga os desvios dos recursos, a PF afirma que o envolvimento de Raul Zaidan “com práticas de corrupção e desvio de dinheiro público não é recente”, relembrando o depoimento do irmão de Carlos Eduardo do Amaral Pinheiro, irmão de Adail, dado após ser recapturado.

Ex-secretário da Casa Civil foi preso na operação ‘Custo Político’, que apura desvios de recursos públicos da Saúde do Amazonas (Foto: Eraldo Lopes)

Carlos Eduardo foi preso em 2008 pela operação ‘Vorax’, cujas investigações começaram em 2004, a partir de uma representação encaminhada pelo MPF à Polícia Federal, que relatou haver irregularidades na execução de convênio firmado entre a prefeitura de Coari e a União, por meio do Ministério do Meio Ambiente, para a construção de um aterro sanitário no município.

Durante a realização da operação Vorax, em 2008, a PF cumpriu mandados de prisão preventiva e apreendeu equipamentos eletrônicos, quase R$ 7 milhões em dinheiro no forro de uma casa localizada em um conjunto habitacional construído pela prefeitura, em Coari, o que seria apenas uma parte dos recursos públicos desviados pelo grupo.

Ao ser recapturado em 2017, Carlos Eduardo, que estava foragido, disse que o irmão mandou passar apartamentos para o nome de Raul Zaidan, para o advogado de Zaidan, um homem conhecido como Marquinhos e para familiares dos dois.

No depoimento, o irmão de Adail também revela que comprou um prédio na Avenida Djalma Batista, no valor de R$ 1.200 milhão. Carlos Eduardo afirma que o valor pago pelo prédio também é proveniente de desvios. O irmão do ex-prefeito de Coari conta que foi a passar o prédio para nome de Raul Zaindan, a mando de Adail.

A compra do prédio, segundo o depoimento de Carlos Eduardo, foi feita junto com Eliaquim de Souza, um agiota que trabalhava para Adail. Conforme o irmão de Adail, Eliaquim tinha uma loja de locação de carros na Rua Recife (atual, Avenida Mário Ypiranga) que mantinha contrato com o governo do estado.

O ex-secretário da Casa Civil, Raul Zaidan, foi preso no fim do ano passado, mas foi solto com base numa decisão do juiz federal substituto, Wendelson Pereira Pessoa, que, na ocasião, argumentou não haver fundamentação comprobatória de que Zaidan era o responsável pelos pagamentos às empresas do médico Mouhamad Moustafa, nem quanto à influência que Zaidan teria sobre os demais secretários. Mouhamad é investigado como chefe de uma organização criminosa que desviou mais R$ 110 milhões da Saúde do Estado.

Conforme as investigações da PF, Zaidan tinha proximidade com Mouhamad, tendo recebido visitas do médico em sua casa. Além disso, segundo a Polícia Federal, o ex-secretário da Casa Civil teria usado seu cargo para influenciar o remanejamento de policiais militares para a segurança particular de Mouhamad.

Anúncio
Anúncio