Justiça Federal decide nesta quinta se mantém prisão de Milton Ribeiro

Ex-ministro da Educação foi preso sob suspeita de liderar um esquema de tráfico de influência na pasta que comandava

Brasília – Na tarde desta quinta-feira (22), o juiz Renato Morelli, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, decide se mantém ou não a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. Ele foi detido ontem pela manhã em Santos (SP) por ser suspeito de liderar um esquema de tráfico de influência no Ministério da Educação.

Milton Ribeiro integrou o governo até março, quando surgiram as denúncias de corrupção (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

A detenção de Milton ocorreu no âmbito de uma operação que investiga a atuação de pastores e prefeitos por recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além de Milton, foram presos os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, que também passam nesta quinta-feira por audiência de custódia. Gilmar Santos será ouvido presencialmente, em Brasília, e Arilton Moura participa de audiência por meio de videoconferência.

De acordo com as investigações, o esquema consistia na indicação, pelos religiosos, de prefeituras que deveriam receber verbas do ministério. Em troca, a suspeita é de que os religiosos cobrassem propina para influenciar as decisões tomadas em Brasília. A Polícia Federal reúne documentos, registros de entrada e saída da sede da pasta e depoimentos de testemunhas.

A defesa do ex-ministro tenta obter decisão para que ele responda ao processo em liberdade. Em março deste ano, dias antes de deixar o cargo, Ribeiro defendeu-se dizendo que, após tomar conhecimento, em agosto de 2021, de “uma pessoa” que estaria cometendo irregularidades, ele denunciou o fato à Controladoria-Geral da União (CGU).

Anúncio